2 eventos ao vivo

Em Campinas, cinco candidatos têm patrimônio maior que o dobro dos outros noves concorrentes

Postulantes ao cargo de prefeito entregam lista de bens ao TSE; ao todo, 14 nomes disputam o pleito

29 set 2020
20h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

CAMPINAS - A cidade de Campinas tem cinco candidatos a prefeito considerados milionários que, juntos, acumulam um patrimônio maior que o dobro dos outros nove concorrentes somados. São 14 concorrentes ao pleito.

Segundo as prestações de contas enviadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os empresários Rogério Parada (PRTB), com R$ 2,3 milhões, e Wilson Matos (Patriota), com R$ 2,1 milhões, lideram em patrimônio. O médico Dário Saadi (Republicanos) declarou R$ 2 milhões em bens; o bancário e vereador André von Zuben (Cidadania), R$ 1,7 milhão, e o ex-prefeito Dr. Hélio (PDT), R$ 1,5 milhão. Somam R$ 9,8 milhões. A soma dos demais dá R$ 3,7 milhões.

Parada, primeiro da lista, é do setor de telecomunicações. Tem cotas de capital empresarial e, entre os bens, inclui um empréstimo de R$ 650 mil e outro de R$ 720 mil, feitos, segundo a campanha, como aportes para empresas das quais participa e declarados. Matos apresentou dois veículos, cota empresarial, salas comerciais e dois apartamentos.

Saadi declarou terrenos, fração de imóveis, seis apartamentos e cotas de capital. Von Zuben, fundos de investimento, aplicações, dois carros e um apartamento. Hélio, além de cotas de capital, duas casas, imóvel em sítio e um apartamento, tem um carro Karmann Ghia 1967 e uma Harley Davidson 2006.

Na sequência, estão o advogado Artur Orsi (PSD), com R$ 901 mil; o ambientalista Rogério Menezes (PV), R$ 824 mil; a Delegada Teresinha (PTB), R$ 727 mil; o médico e vereador Pedro Tourinho (PT), R$ 501 mil; o deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL), R$ 444 mil; a petroleira Laura Leal (PSTU), R$ 277 mil, e a urbanista Alessandra Ribeiro (PCdoB), R$ 22,9 mil.

O professor da rede estadual Ahmed Tarique (PMN) não apresentou patrimônio. "Não possuo." O que há de bens, diz, está em nome da família. O carteiro Edson Dorta (PCO) anunciou candidatura, mas não aparece no site do TSE. Ele teria só um carro Clio 2001, de R$ 5 mil. O cartório da 33ª Zona Eleitoral confirmou que ele não entregou pedido de registro, só ata de convenção. Dorta informa que os advogados do partido tentarão reverter a situação.

Veja também:

Quanto realmente se construiu do muro de Trump e quem está pagando por ele?
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade