PUBLICIDADE

Bivar confirma saída do União Brasil do grupo da terceira via

O Palácio do Planalto ameaçou retirar os cargos apadrinhados por integrantes do partido se o partido apoiasse o grupo

4 mai 2022 23h22
| atualizado às 23h37
ver comentários
Publicidade
Luciano Bivar, presidente do União Brasil, em sessão solene do Congresso
Luciano Bivar, presidente do União Brasil, em sessão solene do Congresso
Foto: Futura Press

O presidente do União Brasil, Luciano Bivar, confirmou o desembarque do partido da chamada terceira via e a manutenção de uma candidatura própria à Presidência da República.

O União saiu da aliança negociada anteriormente com MDB, PSDB e Cidadania, que anunciaram a intenção de lançar um candidato único ao Planalto. A decisão representa mais um fator que mina a união da terceira via nas eleições.   

'Esperamos até o último momento para ver se fazíamos uma coligação com outros partidos, entretanto, os outros partidos não tiveram a mesma unidade que tem o União Brasil', disse Luciano Bivar.  

O Palácio do Planalto ameaçou retirar os cargos apadrinhados por integrantes do partido se o União Brasil apoiasse a terceira via. Oficialmente, Luciano Bivar justificou a decisão alegando que não houve unidade no grupo das legendas que discutiam um acordo eleitoral.

"Esperamos até o último momento para ver se fazíamos uma coligação com outros partidos, entretanto, os outros partidos não tiveram a mesma unidade que tem o União Brasil", disse Bivar, em vídeo divulgado pela assessoria às 21h20 desta quarta-feira, 4, citado como o "Dia D" para a definição.

Bivar lançou pré-candidatura própria ao Planalto. "Eu me recuso a aceitar os extremos que estão aí estabelecidos", disse. O apoio da legenda, dona de quase R$ 1 bilhão em verbas do fundo partidário e do fundo eleitoral neste ano, ainda é buscado por outros presidenciáveis. Ciro Gomes (PDT), por exemplo, quer fechar uma aliança com a sigla e admite oferecer a vaga de vice para Bivar na chapa.

Estadão
Publicidade
Publicidade