0

Análise: Diálogo com jovens atrás de política mais representativa

O espaço que vem sendo aberto na política institucional a grupos marginalizados é consequência de uma busca por mais representatividade - que surge como um reflexo geracional

17 nov 2020
05h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O espaço que vem sendo aberto na política institucional a grupos marginalizados é consequência de uma busca por mais representatividade - que surge como um reflexo geracional. As candidaturas de mulheres com consciência de gênero, pessoas negras, LGBT+ e indígenas dialogam acima de tudo com jovens que desejam uma política de fato mais representativa.

A semente foi plantada nas manifestações de 2013, gerando discussões sobre a necessidade de uma reforma política. O movimento provocou mudanças nas regras eleitorais, que levaram a promover essa pluralidade. A proibição do financiamento empresarial e a criação de um fundo público possibilitaram direcionar verbas a candidaturas de mulheres e pessoas negras. Mas não se pode deixar de levar em conta a polarização da sociedade: lideranças progressistas vêm despontando para defender os direitos de grupos marginalizados. Tudo indica que nas próximas eleições, como revela pesquisa do Instituto Update, essa onda de renovação ganhará ainda mais força.

*DIRETORA DE PROGRAMA DO INSTITUTO UPDATE

Veja também:

Carro aquaplana e vai parar em barranco às margens da BR 467, em Cascavel
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade