2 eventos ao vivo

ANÁLISE: Desempenho do PSDB é o pior desde a eleição de FHC

Alckmin tem de 5% a 7% das intenções de voto, a depender do cenário, segundo o levantamento Ibope/Estado/TV Globo divulgado nesta segunda-feira, 20

22 ago 2018
07h34
  • separator
  • comentários

O ex-governador Geraldo Alckmin é o candidato presidencial do PSDB com pior desempenho eleitoral em quase um quarto de século. Desde que Fernando Henrique Cardoso concorreu à Presidência, em 1994, até a eleição passada, todos os tucanos apareceram com taxa de dois dígitos na primeira pesquisa de opinião após o início oficial da campanha. Agora, Alckmin tem de 5% a 7% das intenções de voto, a depender do cenário, segundo o levantamento Ibope/Estado/TV Globo divulgado nesta segunda-feira, 20.

Na comparação com Aécio Neves em agosto de 2014, é como se o PSDB tivesse perdido quase dois terços de seus eleitores. Há quatro anos, nesta mesma etapa da campanha, Aécio penava na terceira colocação, com 19%, atrás de Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (então no PSB). Mas ele reagiu e foi ao 2.º turno.

O desafio de Alckmin, agora, parece ser mais difícil. Para ir a um eventual 2.º turno com Jair Bolsonaro (PSL), ele também precisa ultrapassar Marina. Mas corre o risco de ser deixado para trás por Ciro Gomes (PDT) e Fernando Haddad (PT), com quem está empatado tecnicamente.

Em termos geográficos, nenhum local ilustra tanto as dificuldades de Alckmin quanto a Região Sul. Lá, o eleitorado de Bolsonaro é quase oito vezes maior que o do tucano. O fenômeno se explica parcialmente pela força do paranaense Alvaro Dias (ex-PSDB, hoje no Podemos), que na região tem 12%, segundo o Ibope. Já Alckmin tem apenas 3% (15 pontos porcentuais a menos que Aécio em 2014).

Nem a escolha de uma candidata a vice gaúcha - a senadora Ana Amélia - parece ter ajudado. No Rio Grande do Sul, um enclave tucano durante a era Lula, Alckmin tem de 5% a 7% do eleitorado - o mesmo que sua média nacional.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade