PUBLICIDADE

Educação

Programa que se baseia na sustentabilidade investe no novo profissional

ESG veio para ficar: curso de pós trata de otimização dos processos com atenção ao social, ambiental e financeiro

8 abr 2021
0comentários
Publicidade

Salve a natureza e pense nas pessoas. Tais imperativos, típicos de ativistas ou adeptos da contracultura, como hippies, já se tornaram metas de quem dificilmente será visto abraçando árvores ou cultuando o festival de Woodstock: CEOs e gestores de multinacionais. Eles estão focados em ESG, sigla que corresponde a Environmental, Social and Governance em inglês. O conceito é apontado como uma das principais tendências de gestão e os desdobramentos dele já se tornaram temas de cursos de pós-graduação.

Estudos mostram que o tema veio para ficar. A pesquisa Global Network of Director Institutes 2020-2021 Survey Report, feita pela organização Global Network of Directors Institutes (GNDI), ouviu 1.964 conselheiros de 17 institutos de governança pelo mundo, sendo 94 brasileiros. Entre vários questionamentos sobre governança empresarial em tempos de pandemia, os entrevistados foram indagados sobre as tendências em que apostam para o futuro.

Para 67% dos entrevistados, o foco em questões ESG será determinante nos negócios. Entre os participantes brasileiros, essa é a opinião de 85% dos participantes. A pesquisa foi realizada entre agosto e setembro de 2020, com diretores, CEOs, conselheiros independentes e outros gestores. Pelo menos 11% dos entrevistados atuam em organizações com mais de 10 mil colaboradores.

"Vivemos um momento de transição. Há uma jornada a ser feita por todos, tanto empresas quanto consumidores, nas questões de sustentabilidade. É um caminho longo e uma mudança cultural", explica Luiz Martha, gerente de Pesquisa e Conteúdo do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), que representa a GNDI no Brasil. Para ele, a pesquisa mostrar o protagonismo das questões sociais e ambientais na agenda dos líderes é um forte indicativo de grandes ações a serem tomadas. "A sociedade entendeu que as empresas não podem ser meras espectadoras dos problemas. Vendo o impacto que elas têm e seus poderes econômicos, uma nova geração de consumidores e investidores demanda uma nova atitude empresarial", afirma.

Para fomentar gestões ESG no País, o IBGC lançou a versão brasileira da iniciativa internacional Chapter Zero, rede de organizações secretariada pela Universidade de Cambridge, que visa a abordar os desafios das mudanças climáticas em conselhos de administração. "Dizemos que a empresa é um cidadão da sociedade. Ela tem de exercer um papel de cidadão, ter responsabilidades para que consiga viver em uma sociedade melhor", resume Martha.

Influenciado pelos critérios dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), ESG envolve unir as preocupações sociais e ambientais a boas práticas de gestão. Assim, além de medidas que mantenham a máquina empresarial funcionando, com a garantia de finanças em dia e o seguimento de normas jurídicas e técnicas, os modelos de negócio devem incluir fatores sociais (como a qualidade da relação com colaboradores e clientes, a diversidade no momento de compor equipe e as ações de impacto na comunidade do entorno) e compromissos ambientais (consumo sustentável de recursos naturais, preservação da biodiversidade e gestão de resíduos, entre outros aspectos).

Para que isso se torne uma realidade nos negócios, instituições de ensino vêm montando cursos de pós-graduação dedicados a esse tema, capacitando profissionais para desenvolverem estratégias ESG.

Na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), a especialização em Sustentabilidade Empresarial: Estratégias ESG nas Operações é uma possibilidade tanto para gestores que ainda se perdem no significado do ESG como para aqueles que já dominam a sigla, mas pretendem aprimorar a gestão de seus negócios. No currículo, há disciplinas como Gestão Ambiental, Gestão Social, Cadeia de Suprimentos Sustentável e Economia Circular. "Vimos uma forte demanda da sociedade por esse tema cada vez mais importante nas empresas. Na elaboração do curso, utilizamos também currículos internacionais, já que o tema é pauta mundial", explica Pablo Carpejani, coordenador da pós-graduação.

Previsto para começar em maio - via modalidade remota ao vivo, ou seja, em formato de live -, o curso reúne um corpo docente que mescla teoria e prática, com professores com experiência acadêmica internacional sobre o tema e outros dedicados ao mercado de trabalho em cargos estratégicos, como gestores de organizações. A formação é conduzida na Lean Academy, segmento da Escola Politécnica da PUC-PR na qual são realizados cursos de pós-graduação que seguem a metodologia de gestão Lean Six Sigma.

Tal conceito, muito utilizado por multinacionais, é aplicado com práticas de gerenciamento sustentáveis. Lida com formas de otimizar os processos de trabalho com estratégias de gestão e sustentabilidade para obter soluções mais eficientes em problemas de negócio. Entre os conceitos abordados estão: a elaboração de estratégias ESG no contexto empresarial; o gerenciamento dos pilares social, ambiental e econômico; o combate a desperdícios; a organização de atividades para criação de cadeia de suprimentos sustentável; a manufatura enxuta; e a eliminação de desperdício em prol da performance empresarial.

LISTA DA ONU PARA SUSTENTABILIDADE

  1. Erradicação da pobreza
  2. Fome zero e agricultura sustentável
  3. Saúde e bem-estar
  4. Educação de qualidade
  5. Igualdade de gênero
  6. Água potável e saneamento
  7. Energia limpa e acessível
  8. Trabalho decente e crescimento econômico
  9. Indústria, inovação e infraestrutura
  10. Redução das desigualdades
  11. Cidades e comunidades sustentáveis
  12. Consumo e produção responsáveis
  13. Ação contra a mudança global do clima
  14. Vida na água
  15. Vida terrestre
  16. Paz, justiça e instituições eficazes
  17. Parcerias e meios de implementação
Estadão
Publicidade
Publicidade