Plataforma reúne videoaulas para reforço de alunos do ensino fundamental

Conteúdo escolar do 6º ao 9º ano é ensinado em 1.400 vídeos

12 set 2018
18h59
atualizado às 21h26
  • separator
  • comentários

SÃO PAULO - Foi lançado na segunda-feira, 10, a plataforma SacaSó! que reúne mais de 1.400 vídeos que ensinam o conteúdo escolar do ensino fundamental 2 (do 6º ao 9º ano). A videopédia tem conteúdo alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que passa a valer no início de 2020 e que vai determinar pela primeira vez na história do País os objetivos de aprendizagem para todos os anos do ensino infantil e do fundamental.

Plataforma tem vídeos com conteúdo escolar do 6º ao 9º ano
Plataforma tem vídeos com conteúdo escolar do 6º ao 9º ano
Foto: Sacasó|Reprodução / Estadão Conteúdo

A plataforma reúne vídeos nacionais e internacionais com conteúdos de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História e Geografia, além de conhecimentos gerais. O acesso é pago e os preços variam de R$ 28,90 a R$ 38,90 ao mês.

Idealizador do projeto, Marcos Amazonas conta que os vídeos são voltados para o ensino fundamental 2 por ser a etapa em que os alunos começam a apresentar dificuldade em acompanhar a escola. "Eles saem do ensino fundamental 1 e tudo é diferente. Ao invés de apenas uma professora, passam a ter um por cada disciplina. É preciso um olhar mais atento para essa etapa", diz.

Segundo ele, o objetivo é que a plataforma funcione como uma espécie de "professor particular". Além dos vídeos, os alunos também podem fazer testes. Todo o desempenho da criança pode ser acompanhado pelos pais.

Amazonas também explica que os vídeos foram pensados em vários formatos e com técnicas diferentes. "A ideia é apresentar o conteúdo de uma forma diferente da que o aluno vê na escola."

Em um dos vídeos, por exemplo, para responder se queimadura por frio é perigosa, um professor com visual de cientista mostra um bife cru ressecado e depois o compara com outro bife, congelado em um freezer, para explicar como os alimentos ficam ressecados.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade