Dilma: Sisu é fundamental para democratizar acesso à universidade

14 jan 2013
08h10
atualizado às 08h11
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira que o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) tem sido fundamental para ampliar e democratizar o acesso de jovens à educação superior. No programa semanal Café com a Presidenta, ela lembrou que a Lei de Cotas já vai valer para a seleção deste ano. A primeira chamada do Sisu já pode ser consultada no site do sistema.

Vestibular ou Enem: veja como será a seleção nas universidades

Neste primeiro semestre, o Sisu oferece mais de 129 mil vagas em 3.752 cursos de 101 universidades públicas e institutos federais de educação. Com as cotas, 43 universidades e 40 institutos federais reservaram pelo menos 12,5% das vagas para estudantes de escolas públicas, alunos de baixa renda, negros e índios.

'A partir do primeiro semestre do curso, vamos pagar uma bolsa de R$ 400 para os alunos cotistas com renda familiar até um salário mínimo e meio por pessoa e jornada igual ou superior a cinco horas diárias. Essa bolsa vai ser renovada de acordo com o desempenho do aluno no curso. Se ele se dedicar e alcançar bons resultados, ele vai receber esse apoio do governo durante todo o curso.'

A presidente destacou ainda que o Programa Universidade para Todos (Prouni) também contribui para o acesso de estudantes carentes ao ensino superior. Segundo ela, 1,1 milhão de jovens já receberam uma bolsa para estudar em uma universidade particular.

As inscrições para o benefício em 2013 começam na próxima quinta-feira. Todos os alunos que fizeram o ensino médio em escola pública e que tenham renda familiar até três salários mínimos por pessoa podem concorrer, desde que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

'Veja você que a nota do Enem vale para o Sisu, para o Prouni e para os vestibulares de muitas universidades públicas. Vale também para o Ciência sem Fronteiras', disse. 'Sabemos que a educação é o principal instrumento para reduzir as desigualdades e construir um País mais justo e mais desenvolvido. É por isso que nós vamos, cada vez mais, garantir que jovens tenham acesso à universidade.'

Veja também:

As novas armas de Trump para reverter baixa popularidade às vésperas da eleição
Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade