3 eventos ao vivo

Sem fiscalização, moradores de condomínio ignoram protocolos de combate à covid-19

14 ago 2020
22h17
atualizado em 17/8/2020 às 00h25
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

No início do mês de agosto, a Prefeitura de Sorocaba anunciou que a Santa Casa, única unidade hospitalar que atende pelo SUS na cidade, voltou a operar com a capacidade máxima, os 40 leitos intensivos estão ocupados. Além da possibilidade de faltar leitos para novos casos graves, a situação afeta diretamente os profissionais que se sobrecarregam para atender a comunidade sorocabana. As unidades de saúde particulares, como Unimed e o hospital Evangélico, também apresentam a mesma situação, UTIs lotadas.

Foto: Crédito: @prostooleh / DINO

A resistência da comunidade em seguir os protocolos de combate ao coronavírus, recomendados pela OMS, contribuem para o cenário. Alguns bairros da cidade têm sido foco do vírus, entre eles o bairro do Éden, onde localiza-se o Condomínio Parque Salém, o maior da região, com mais de 15 prédios e uma única entrada e saída para os moradores dessa comunidade.

No início do mês de agosto, uma pesquisa realizada pela Consulting do Brasil no Parque Salém constatou que mais de 1/3 dos condôminos saem do local sem o uso de máscaras e também promovem algum tipo de aglomeração. A pesquisa ouviu 103 moradores do Condomínio que responderam perguntas sobre suas percepções em relação à pandemia dentro do residencial.

Segundo a pesquisa, 50% dos entrevistados conhecem ou já ouviram falar de algum morador ou parente, dentro do condomínio, que já teve ou está com covid-19 e que, ainda assim, os moradores não seguem as recomendações de proteção como distanciamento social e uso de máscara.

Além disso, quase a metade dos moradores afirmou não se sentir seguro com a forma que a gestão do condomínio e os moradores estão lidando com a pandemia e expressaram ter medo de pegar o vírus.
"O Governo manda a gente ficar em casa, mas o que adianta se os moradores não usam máscara, fazem festa e muvuca", desabafa um dos moradores entrevistados.

Em maio, a prefeitura de Sorocaba divulgou o decreto nº 25.733/2020 que "dispõe sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras faciais pelos munícipes em vias e locais públicos, no transporte público coletivo, transporte por aplicativos e táxis, estabelecimentos comerciais e repartições públicas, como medida de combate da pandemia do Coronavírus no âmbito do Município de Sorocaba".

O decreto se estende a também a condomínios que devem seguir a regra nas áreas comuns de circulação de moradores e visitantes. No entanto não é o que revelou a pesquisa, a desobediência leva à lotação das UTIs e mais vidas são colocadas em risco.

Além do bom senso, é recomendado pelos órgãos administrativos e profissionais da saúde, que gestores de condomínios e moradores atuem em conjunto como fiscalizadores e conscientizadores em suas comunidades, principalmente neste período em que os casos ainda crescem em diversas cidades do país.


Fonte: Dal Pra & Scotta Comércio e Serviços.

Veja também:

A igreja que conecta fiéis a Deus com a ajuda do álcool
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade