0

Revitalização e Open Mall pretendem transformar Largo São Bento em um 'oásis'

11 out 2017
14h48
  • separator
  • comentários

Iniciativas de revitalização da região central de São Paulo estão em andamento na capital. O prefeito João Doria anunciou em parceria com o Sindicato da Habitação (Secovi-SP) a contratação do urbanista Jaime Lerner para cuidar do projeto de requalificação do centro, que faz parte do programa "Cidade Linda" e visa remodelar o sistema de habitação, mobilidade e paisagismo do centro da cidade.

Uma das novidades que irão compor a nova paisagem da vizinhança é o restauro e iluminação do imponente Viaduto Santa Ifigênia. Deste modo, o governo municipal espera estimular um maior público para happy hour no centro. O altivo viaduto de estilo art noveau, construído, em 1913, com 1.100 toneladas de ferro trazidas da Bélgica é um dos marcos históricos da capital paulista e liga pontos bem importantes da área central. O processo de revitalização é uma resposta ao período de 18 anos que o equipamento urbano ficou negligenciado. Na sequência a prefeitura pretende revitalizar a Praça do Patriarca, Theatro Municipal e o Largo do Arouche.

Bem ao lado do viaduto está outra aposta que promete transformar esta região em um verdadeiro 'oásis', o Pátio Metrô São Bento, que é o mais novo open mall de São Paulo, um centro de compras com infraestrutura completa e aconchegante, parte dela a céu aberto. A área de quase seis mil m², no centro histórico de São Paulo, está bem acomodada dentro da estação São Bento do Metrô, e vai disponibilizar à população 60 novas lojas comerciais, de gastronomia e serviços diversificados dentro de uma ambientação simpática, com conceito diferenciado e moderno.

Na parte externa o usuário conta com um boulevard acolhedor servido por plantas majestosas e paisagismo bem pensado com vista privilegiada do Viaduto Santa Efigênia. O local abriga um food hall com foco na gastronomia do tipo gourmet.
"O viaduto agora tem tudo para se tornar um ponto turístico como acontece com outras pontes famosas no mundo. Queremos receber os turistas e proporcionar um ângulo bem peculiar para tirar uma foto deste ícone da região", ressalta Isabela Parrón, gerente de marketing e ações culturais do empreendimento.

Ao desfrutar da generosa infraestrutura do novo polo cultural e gastronômico, os clientes terão oportunidade de assistir a um evento musical, comer tanto um menu mais chic, quanto um hambúrguer gourmet ou outras opções de fast food.
O open mall naturalmente se tornará um refúgio para recarregar as energias depois de fazer compras na rua 25 de março. Quem estiver pelas redondezas poderá usufruir de facilidades, como por exemplo, ir a uma barbearia, um bom café, lanchonete, lojas franqueadas de rede, doçaria, livraria, lotérica ou loja de conveniência.
O empreendimento tende a ser uma opção de roteiro para os profissionais que quiserem relaxar após um extenuante dia de trabalho. A região concentra escritórios de advocacia, corretoras de valores, instituições do mercado financeiro, bancos, empresas de serviços e faculdades.

É difícil achar em São Paulo um local tão bem servido de alternativas. Num raio de aproximadamente 500 a 1000 metros, pode-se ter acesso às ruas comerciais 25 de março e Santa Ifigênia, ou ainda a endereços diversificados como a Bovespa/BMF, Centros culturais do Banco do Brasil e dos Correios, Caixa Cultural, Associação Comercial, Teatro Municipal, Pátio do Colégio, Catedral da Sé e a Prefeitura de São Paulo.

Não pode ficar esquecido seu nobre vizinho, o Mosteiro de São Bento, que dá um tom especial para a sonoridade do empreendimento com a badalada dos sinos afinados, que tocam nas horas cheias e nas frações. E com a celebração aos domingos das missas sob comoventes cantos gregorianos, que são imperdíveis até para quem não é católico. Os frequentadores do Mosteiro podem ainda ter aulas desse estilo musical e durante o ano acontecem concertos de órgão e violoncelo, e apresentações de coral e da Orquestra de Arte Barroca.

Como hoje 4,3 milhões de pessoas circulam pela estação São Bento todos os meses, as dependências foram pensadas arquitetonicamente para que a movimentação das pessoas fosse ágil, prática e fluida, mas também convidativas para comprar ou para um bate-papo descontraído. As estruturas, ombrelones (aquela espécie de guarda sol quadrado gigante), pisos e toldos em madeira, os espaços verdes e demais elementos compõem o ambiente receptivo, que é regido pela segurança e limpeza devidamente ajustadas pela administração do open mall. O design arquitetônico do Pátio Metrô São Bento é assinado pelo arquiteto Jayme Lago Mestieri, autor de projetos executados em conceituados shoppings e centros comerciais do Brasil.

Quiosques permanentes com souvenires irão compor o novo cenário e aos finais de semana, o Pátio receberá barraquinhas com infinidade de artigos como aquelas feirinhas ajeitadas, que seduzem qualquer visitante.
O novo open mall apresenta uma logística única, porque reúne as facilidades de transporte, como metrô, ônibus, carro e até bicicleta, caso alguém prefira.

"O centro é um polo turístico, comercial e cultural muito importante para a cidade, quanto maior for o investimento na revitalização dos espaços públicos, na construção de empreendimentos residenciais e comerciais, em atividades de lazer e cultura, mais pessoas poderão usufruir desta região emblemática de São Paulo. Por isso, estamos satisfeitos em trazer um empreendimento que vai contribuir ainda mais com o desenvolvimento deste 'coração' da capital paulistana", diz Odivaldo Silva consultor de varejo da Renova e responsável pelo planejamento e desenvolvimento do novo open mall.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade