8 eventos ao vivo

Revista científica da SBRA aumenta seu prestígio em ranking internacional

Publicação trimestral reúne artigos produzidos por profissionais da Reprodução Assistida e afins, nacionais e internacionais

16 jul 2020
01h18
atualizado às 02h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida (JBRA Assisted Reproduction) segue se destacando no universo científico. A publicação melhorou seu desempenho no CiteScore, índice de impacto da base Scopus (Elsevier) que reflete o número médio anual de citações de artigos recentes publicados em uma revista científica. O último levantamento, divulgado no final do mês de junho, mostra que o JBRA subiu 41 posições no ranking, atingindo o CiteScore 2,1 - o que representa a 92ª posição entre 171 jornais científicos considerados na sua área. Esse resultado reflete a atividade de citação em 2019.

Foto: DINO / DINO

No ano passado, o CiteScore da publicação foi de 1,4, o que a colocou na 133ª posição entre 166 da categoria na qual estava inserida. Para a editora chefe do jornal, Maria do Carmo Borges, que também é presidente da Rede Latino-Americana de Reprodução Assistida (REDLARA), essa melhora nos índices reflete que o JBRA atingiu uma fase de maturidade, já sendo considerado uma referência no universo científico.

"Sem dúvida é fruto do empenho de toda a equipe da editoria e dos autores de todos os continentes que prestigiam no nosso jornal com pesquisas de qualidade . Tenho muito orgulho de participar desse grande projeto", ressalta.

Na avaliação dela, essa ascensão de desempenho no CiteScore também está diretamente relacionada ao maior alcance do JBRA no universo científico. "Atualmente, nossa revista é enviada para mais de 29 mil e-mails, sendo visualizada por profissionais em diversos países fora e da América Latina. Isso possibilita uma ampla divulgação dos nossos artigos, que passam a ser mais citados em publicações correlatas em todo o meio da área da Reprodução Assistida", reforça Borges.

O editor associado do JBRA, o médico João Batista Alcântara Oliveira, também atribui essa melhora no ranking à crescente qualidade dos trabalhos publicados. "Mostra a evolução da nossa revista nesse importante índice de impacto. Nós acreditamos que a maior divulgação dos artigos com a ampliação de sua indexação em bases de dados com o PubMed/Medline ajudou a melhorar esse ranking", avalia.

Sobre o índice - Lançado em dezembro de 2016 pela Elsevier, o CiteScore é um indicador alternativo de avaliação de periódico que disponibiliza um conjunto de métricas que possibilitam uma visão do desempenho de uma revista. Segundo João Batista, essa classificação é realizada a partir da contagem de todas as citações recebidas por uma publicação em um ano dividida por todos os itens publicados nos periódicos nos três anos anteriores ao ano calculado.

"Ele foi criado como alternativa ao Fator de Impacto e oferece um conjunto de métricas que fornecem uma visão do desempenho de uma revista por meio da mensuração do impacto da citação dos artigos - número de vezes em que é citado - em uma publicação científica. Também é uma ferramenta estratégica que auxilia os autores a decidir onde publicar seus materiais científicos, além de auxiliar os bibliotecários na gestão de suas coleções", ressalta.

O JBRA é uma publicação trimestral em inglês da SBRA, REDLARA e da Associação Brasileira de Embriologistas (PRONÚCLEO). A publicação é destinada a especialistas e pesquisadores da da saúde reprodutiva e áreas afins. Atualmente, faz parte do PubMed/Medline electronic databases, uma das maiores bases de dados primária e de gerenciamento de periódicos científicos do mundo no campo das ciências médicas e biológicas. Além da base Scopus, o JBRA está indexado nas bases de dados da Excerpta Médica, da Periódica, CAPES Periodics Portal, Latindex, Google Scholar Embase, NLM Catalog, Platform Scimago e Journal.



Website: https://sbra.com.br/

Veja também:

Ativista luta pelo retorno de arte saqueada da África
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade