0

Passe a folia com alegria, sem bactéria e sem doença do beijo

Dicas do biomédico Roberto Figueiredo para curtir o Carnaval 2018

11 fev 2018
22h15
  • separator
  • comentários

Parece até brincadeira, mas entra ano e sai ano e nesta época de folia no Brasil todos os hospitais ficam mais movimentados e muita gente passa mal. Alguns por comer fora de casa, com vendedores ambulantes durante o Carnaval e outros por beijar sem segurança!

Foto: DINO

Vale lembrar que muitos vendedores visam ganhar dinheiro rápido, nem sempre são da área de gastronomia e não levam à serio procedimentos básicos de higiene.

"Esta falta de profissionalização leva ao aumento dos riscos de eventos de Doenças Veiculadas por Alimentos. A dificuldade de fiscalização aliada a diminuição da resistência individual das pessoas (cansaço, má alimentação, bebidas, poucas horas de sono, etc.), fazem com que as bactérias (e outros microrganismos) caiam na folia, promovendo um verdadeiro carnaval de rua ou de vários locais cujos salões são as pessoas desavisadas e seus filhos", explica Dr. Bactéria, o biomédico Roberto Martins Figueiredo.

Veja as dicas do especialista:


LIMPEZA e PRESENÇA DE INSETOS - Doenças Veiculadas por Alimentos.

Erros: consumir alimentos em locais com baixo grau de higiene.

Prevenção: observe itens que podem indicar falta de higiene : odor desagradável, presença de insetos (vivos ou mortos), poeira, panos sujos, etc.

Cachorro quente e Salsichão - Presença da bactéria Listeria monocytogenes e Salmonella.

Consequências: Listeria. Pode causar aborto ou, 8 a 12 horas após a ingestão, levar a diarreia e cólicas abdominais fortes por 24 horas.

Salmonella : diarreia, vômitos e febre por uma semana.

Erros: consumir a salsicha crua ou com maionese caseira.

Prevenção: cozinhe bem a salsicha, deixe-a totalmente imersa na água, que deve estar soltando vapor. A maionese consumida deve ser industrializada. O molho deve estar bem quente.

Churrasquinho - Presença da bactéria Escherichia coli O157:H7.

Consequências: após 8 a 12 horas podem surgir diarreia e cólicas abdominais fortes por 24 horas.

Erros: consumir a carne mal passada ou deixá-la mal refrigerada.

Prevenção: prefira o churrasquinho feito na hora e bem passado. Deve-se evitar passar o churrasquinho na farinha, que pode ter sido contaminada ao ser manipulada. A carne crua deve ficar armazenada em isopor com gelo ou refrigerada.

Canudos, copos, pratos e talheres descartáveis. Presença de vírus e de bactéria causadora da gastrite (H. pylori).

Consequências: viroses e outras doenças transmissíveis pelo contato.

Erros: a reutilização e o uso de produtos mal armazenados.

Prevenção: após o uso, os utensílios devem ser destruídos para evitar a sua reutilização.


Milho cozido. Presença da bactéria Bacillus cereus.

Consequências: após 8 a 12 horas podem surgir diarreia e cólicas abdominais fortes por 24 horas.

Erros: deixar o milho numa temperatura inferior a 60 ºC por mais de duas horas.

Prevenção: manter o alimento aquecido a mais de 60ºC.

DOENÇA DO BEIJO

"O ideal é se preocupar com a qualidade e não quantidade de beijos", ressalta o Dr. Bactéria.

Segundo o biomédico, o beijo pode trazer doenças como sapinho e candidíase bucal (fissura no lábio), ocasionado pelo microrganismo Candida albicans. Outra enfermidade conhecida é monocleose infecciosa, a "doença do beijo", na qual a pessoa pode sentir os sintomas (gripe e ínguas) depois de três a quatro semanas. Depois de curada, essa pessoa pode transmitir a bactéria por até seis meses.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade