0

Nova forma de consumo: compra de produtos e serviços usando bitcoins não é mais um privilégio das grandes cidades brasileiras

10 jan 2020
15h12
  • separator
  • 0
  • comentários

O mercado das criptomoedas cresceu tanto no Brasil que, em agosto do ano passado, a Receita Federal passou a exigir a comunicação de operações envolvendo as moedas digitais. Foi a primeira norma sobre o tema editada no país. Segundo o órgão, entre agosto e setembro de 2019, foram registradas quase R$ 14 bilhões em transações.

Foto: propria / DINO

Os números acompanham uma mudança na forma de consumo, que já não é vista apenas nas grandes capitais brasileiras. Em Santos, no litoral de São Paulo, por exemplo, já é possível comprar um carro e pagar em bitcoins. A AKTA Motors, que oferece a opção, é uma das clientes da empresa Pague com Crypto, responsável por desenvolver a tecnologia. O processo é simples: o lojista baixa o aplicativo (disponível na Apple Store e Play Store), faz um pré-cadastro, o acesso é liberado e ele já começa a receber em bitcoins. O saldo é acompanhado de forma online pelo comerciante, que pode receber também por meio de uma maquininha. Neste caso, é cobrada uma taxa de aquisição.

"O grande diferencial é que o lojista não tem nenhum custo por transação. Nosso lucro vem do deságio aplicado ao bitcoin na hora da compra pelo consumidor", explica Diego Martins, sócio da Pague com Crypto. O comerciante ainda sabe exatamente quanto vai receber e não fica exposto à variação da criptomoeda. O pagamento cai em 48 horas. Além disso, a empresa possui um gateway de pagamento, que pode ser inserido em qualquer e-commerce, permitindo que o cliente faça compras em sites usando bitcoins.

O negócio, também comandado pelo gestor de novos negócios Kaio Gomes e pelo desenvolvedor Luciano de Oliveira, tem escritórios em Santos e São Paulo e conta com representantes no Rio do Janeiro e Amazonas. "Estamos desenvolvendo parceria nos Emirados Árabes, com a Fidúcia Private Capital e incubando uma filial em Portugal no IPP, Instituto Politécnico Portalegre", conta Kaio. Além da concessionária, fazem parte da cartela de clientes, bares, restaurantes, imobiliárias e redes de postos de combustível. No entanto, o principal foco são os bancos digitais, que já estão posicionados no mercado com máquinas de débito e crédito, assim como os gateways de pagamento, que viabilizam as transações em lojas virtuais.

A empresa tem entre seus parceiros a corretora Lopes Conceito, que tem o primeiro empreendimento a venda aceitando bitcoin na cidade de Santos, o Coral Residence, da Constumares. 

Outro foco da empresa do grupo é o recebimento de boletos usando bitcoin, o usuário pode pagar qualquer conta ou fatura usando o serviço online da empresa, o cliente envia o bitcoin e a Pague com Crypto faz o pagamento em real. Isso é um dos focos da empresa, pegar os desbancarizados, estrangeiros no Brasil e brasileiros no exterior que ainda possuam conta no Brasil. 



Website: http://www.paguecomcrypto.com

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade