PUBLICIDADE

No Maio Amarelo, ABRATI propõe combate à circulação de ônibus irregulares

Associação anuncia que vai propor ao Denatran a retirada de circulação urgente dos veículos irregulares, como forma de garantir a segurança dos passageiros

14 mai 2021 12h51
ver comentários
Publicidade

No mês da conscientização sobre a segurança no trânsito, a Abrati - Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros vai se concentrar em chamar a atenção do poder público e da sociedade civil sobre os riscos da circulação de ônibus irregulares nas estradas brasileiras. Aproveitando o Maio Amarelo, a associação vai solicitar ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) que realize um mutirão para tirar de circulação os veículos que não seguem as normas previstas na lei.

Foto: ABRATI/Divulgação / DINO

Os altos investimentos em segurança promovidos pelas empresas regulares de transporte rodoviário de passageiros - o equivalente entre 7% a 10% da folha de pagamento - vêm trazendo excelentes resultados na redução de acidentes. Nas rodovias federais, essas operadoras respondem por apenas 0,0017% das ocorrências. "O mesmo não acontece com os irregulares, que circulam livremente sem revisão mecânica periódica, pneus carecas e motoristas sem treinamento", diz Leticia Pineschi, diretora da ABRATI, acrescentando que "não haverá segurança no trânsito enquanto não enfrentarmos com coragem o problema do transporte de passageiros amador e fora da regulamentação".

Nas empresas que adotam os pacotes mais completos de segurança, treinamento e capacitação, o investimento gira em torno de 12% da folha de pagamento de condutores. Esses esforços contemplam programa de medicina do trabalho voltado especificamente para motoristas e de medicina do sono, instrutores, treinamento de admissão e reciclagens periódicas, reintegração após período de férias e afastamentos, além de materiais de treinamento e ensino à distância ou presencial para controle de qualidade.

A ABRATI defende que a operação do transporte de passageiros necessita seguir padrões estabelecidos a partir de regras que garantem segurança das viagens. "É preciso chamar a atenção de todos para o fato de que, por exemplo, a oferta de passagens mais baratas pode estar relacionada diretamente à falta de padrões de manutenção e ao descuido na capacitação dos motoristas; consequentemente, a vida dos passageiros pode estar risco", ressalta Pineschi.

A pandemia e seus impactos econômicos resultaram em um aumento expressivo no número de viagens realizadas por empresas irregulares. Para a ABRATI, isso significa que há um número crescente de brasileiros sendo expostos a acidentes nas estradas, sem sequer compreender que estão viajando em transportes inadequados.

A campanha Maio Amarelo, que neste ano tem o slogan "Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito", é para a ABRATI uma motivação para conscientizar toda a sociedade acerca das responsabilidades e comprometimento que assumem as empresas ao transportarem pessoas.

O Maio Amarelo foi criado em 2014 como um movimento brasileiro de alerta sobre o alto índice de acidentes de trânsito em todo o mundo, o Maio Amarelo promove discussões sobre o tema, incentiva engajamento e propaga conhecimento sobre segurança viária brasileira em todas as esferas da sociedade ao longo de todo o mês. A iniciativa está em sintonia com a resolução da Assembleia-Geral das Nações Unidas, de março de 2010, que definiu o período de 2011 a 2020 como a "Década de Ações para a Segurança no Trânsito", após a OMS - Organização Mundial da Saúde contabilizar em 2009 cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países.



Website: http://www.abrati.org.br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade