8 eventos ao vivo

Diferença de preço dos brinquedos chega a 200%, diz Proteste

Pesquisa feita com 280 presentes em 45 lojas mostra que o consumidor pode ganhar muito se fizer uma boa pesquisa

11 out 2017
10h43
  • separator
  • comentários

Com a proximidade do Dia das Crianças, o comércio se prepara para a sua terceira melhor data em números de vendas. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a expectativa é que a data movimente R$ 7,4 bilhões, 3,4% a mais do que em 2016 o que representará o melhor dos últimos quatro anos.

Foto: DINO

Por isso a PROTESTE, Associação de Consumidores, elaborou uma pesquisa com 280 brinquedos feita em 45 lojas. Entre bonecas, personagens de desenhos animados, videogames entre outros, a diferença entre os preços chega a 200%.

A pesquisa foi feita no Rio de Janeiro, mas boa parte das lojas pertence a redes nacionais, que praticam o mesmo preço em todas as praças do país.

Entre lojas físicas e online, a variação chega a 48% com vantagem para a compra via internet, mas o consumidor deve ficar atento à data de entrega, para não frustrar os pequenos.

8 Dicas para economizar com o presente das crianças

Para economizar na hora da compra, vale seguir algumas recomendações para fazer um bom negócio e não estourar o orçamento ou fazer compras a perder de vista, seja na loja online, seja na loja física.

• O consumidor deve pesquisar bastante o preço antes de comprar, tanto em lojas online quanto nas lojas físicas. Com isso, é possível encontrar bons preços. Programe-se para visitar várias lojas pois a diferença de valor chega a 200% em alguns casos;

• É importante ficar de olhos em liquidações. A compra online é quase sempre mais barata e há várias ferramentas de comparação disponíveis para facilitar;

• Se possível a preferência é pagar à vista, pois os valores são menores (sem juros) e evita o endividamento com uso do cartão de crédito;

• Na hora de comprar o produto, é sempre indicado levar folders com preços de outras lojas para tentar uma negociação;

• Uma opção é trocar a mais famosa por uma mais barata, porém é essencial observar itens de segurança e qualidade dos produtos que devem ter certificação do Inmetro. No caso de optar por uma bicicleta da Verden Bikes ao invés da Caloi, a economia é de R$93,79, comparando preços mínimos online.

• Também existe a opção de encontrar ofertas em mercados populares. No Rio os mais conhecidos são: Saara e Mercadão de Madureira, assim como a região da 25 de Março em São Paulo. Há lojas e magazines com bom preço e brinquedos seguros para as crianças;

• Livro de colorir, bola, conjunto de panelinha, bonecos e carrinhos sempre fazem bastante sucesso e costumam ser opções mais baratas, podendo ser encontrados em modelos simples por valores baixos, como R$ 10 a R$ 30, adequando-se aos orçamentos mais restritos.

Além das dicas de compra, os pais devem estar atentos a qualidade dos brinquedos.

Principais riscos:

Peças pequenas, objetos pontiagudos ou rebarbas (muito comuns em plásticos)

Evite os brinquedos que devem ser carregados na tomada, especialmente os manejados com crianças com menos de oito anos;

Analise a resistência das costuras, em caso de brinquedos de pelúcia e bonecos de tecido em geral;

Cuidado com a tinta que pode descascar e especialmente a presença de chumbo que é especialmente danosa a saúde das crianças. Por isso procure brinquedos com selo de aprovação do Inmetro, previamente testados;

Atenção a presença de substâncias tóxicas presentes na tinta ou nas matérias-primas dos brinquedos, especialmente os plásticos

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, vale lembrar que também na compra de brinquedos, o consumidor deve exigir o cumprimento da legislação nos seguintes casos.


Descumprimento de oferta, como nos atrasos na entrega das lojas online. Neste caso deve pedir cancelamento ou troca do item;

Vício oculto, o prazo para reclamar é a partir do momento que o problema é detectado;

Prazo para reclamar em caso de produtos com defeito é de 30 dias para produtos considerados não duráveis e 90 dias para produtos duráveis.

Produtos sem defeito não tem amparo legal que garanta a troca;

No entanto, para produtos comprados via internet, o prazo de desistência é de até sete dias para devolução integral do valor pago.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade