0

Criança que supera adversidades tem menos chance de desenvolver distúrbio comportamental

Estudo inédito será apresentado em congresso internacional de neurologia e psiquiatria, que vai reunir mil especialistas no Rio, em agosto

24 jul 2017
15h37
atualizado às 16h10
  • separator
  • 0
  • comentários

Um estudo realizado com quatro mil crianças de 7 a 12 anos de escolas públicas no interior de Minas Gerais revela que em um país de tantas crises, incertezas e violência vivem melhor aquelas que possuem capacidade de superar adversidades. De autoria do neurologista Marco Antônio Arruda, doutor da USP e do Instituto Glia, o trabalho mostra que quanto mais resiliente for a criança, menor a chance de desenvolver algum distúrbio comportamental que afete seu desempenho escolar e as suas habilidades de autocontrole, organização e regulação emocional. A pesquisa, ainda inédita, será apresentada por Arruda no IV Congresso Internacional e XXIV Brasileiro da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil e Profissões Afins (ABENEPI), que será realizado de 9 a 12 de agosto, no Rio de Janeiro, no Windsor Barra.

Foto: DINO

O evento vai reunir mais de mil especialistas para discutir os avanços da neurociência e dos estudos científicos e clínicos no comportamento de crianças e jovens. Estão programados 12 cursos, 36 conferências e 60 mesas redondas onde os participantes farão uma reflexão conjunta sobre os grandes desafios do momento, debatendo desde o alarmante crescimento do suicídio e automutilação entre adolescentes até as boas práticas promovidas internacionalmente no tratamento de distúrbio de déficit de atenção, dislexia e autismo. Entre os temas selecionados estão, por exemplo, as mudanças em saúde mental trazidas pela Febre Amarela, Dengue e Chikungunya; a experiência Sueca na abordagem do autismo; novas evidências epidemiológicas para o TDAH; o debate sobre possíveis interfaces entre TDAH e epilepsia, entre outros. No campo da educação, as discussões vão desde ao debate sobre como o cérebro da criança aprende até a troca de conhecimentos.

Segundo o neuropediatra Jair de Moraes, presidente da comissão científica do congresso, a maior riqueza do evento é a transdisciplinaridade.
"Este evento reúne profissionais diversos da área médica, educadores, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, todos dispostos a trocar conhecimento e a compartilhar seus desconfortos e descobertas sobre saúde mental na infância e adolescência. Vamos trazer estudos do Brasil, dos Estados Unidos, Suécia, Portugal e Argentina mostrando abordagens comportamentais e científicas junto aos pacientes", disse ele.

A programação completa de cursos, mesas redondas e conferências pode ser acessada neste link. As conferências irão abordar os temas pelo viés da doença e da educação.
As inscrições devem ser feitas no site http://inscricao.congressoabenepi2017.com.br/. São esperados 1,2 mil participantes.

Serviço

Local: Windsor Barra - Av. Lúcio Costa, 2630 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro

Data: 09 a 12 de agosto de 2017

Outras informações:
Andréa Dunningham - deia.dunningham@gmail.com (21-99431-2991)

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade