0

Cirurgião alerta sobre aumento de 20% de casos de câncer de tireoide e novos tratamentos

12 fev 2020
15h53
atualizado em 13/2/2020 às 10h21
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O câncer de tireoide é o terceiro que mais afeta mulheres na região Sudeste, o quinto nas regiões Centro-Oeste e Sul, sem considerar os tumores de pele não melanoma e está entre os 14 tipos de câncer mais frequentes em todo o país. A expectativa de câncer de tireoide para o Brasil, em cada ano do triênio 2020-2022, é de 14 mil novos casos, sendo quase doze mil nas mulheres, cerca de quatro vezes mais que em homens. Os números registram um aumento de 20% na incidência da doença na população, em relação a 2018, de acordo com a estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA).  

Foto: arquivo pessoal / DINO

Sintomas

 Os principais sintomas de nódulos na tireoide são:

- cansaço excessivo

- inchaço no pescoço

- dificuldade para falar, mastigar e engolir

- tosse constante

- hipotireoidismo

- hipertireoidismo

O risco do nódulo ser CÂNCER depende do seu tamanho, características e da presença de gânglios cervicais, veja algumas causas: 

- história de irradiação do pescoço

- radioterapia em baixas doses (principalmente na infância)

- história familiar de câncer de tireoide

- dieta pobre em iodo

Mas outros fatores de risco são apontados atualmente como importantes causadores de todos os tipos de câncer e também pelo aumento da incidência do câncer de tireoide: como a obesidade, o tabagismo, exposições hormonais e poluentes ambientais, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Diagnóstico

Ao perceber algum sintoma, o paciente pode ser diagnosticado por um exame físico de rotina ou outros exames de imagem, como ultrassonografia., cintilografia da tireoide, radiografia de tórax. Para descartar malignidade, exames mais complexos podem ser solicitados, como ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Tipos de câncer de tireoide 

  "O câncer de tireoide é o  mais comum da região de cabeça e pescoço e quase 80% dos casos são do tipo papilífero, que é menos agressivo e quando pequeno pode se detectar em exames de rotina", afirma o cirurgião de cabeça e pescoço Leonardo Rangel, especialista pelo INCA, médico e pesquisador da UERJ/HUPE.  Outros tipos de carcinoma são: o folicular, (responsável por 10 a 30 % dos casos), o medular (quase 5%) e o anaplásico, que corresponde a 2%, mas é o mais agressivo, além de tumores mais raros.   

Quando os nódulos são benignos?

  Quando há nódulos, o diagnóstico é feito com punções aspirativas, com a ajuda de ultrassonografia. Outro exame para descobrir malignidade ou não, de forma precisa, é o teste molecular que analisa as células retiradas da tireoide. Nódulos benignos podem ser tratados pelo novo método de Ablação por Radiofrequência. A técnica é minimamente invasiva, onde a agulha da punção emite a radiofrequência no nódulo, guiada pelo ultrassom. Em poucos meses após a aplicação, o nódulo diminui até 75% ou mais, preservando a glândula, evitando cortes, problemas na voz e a reposição hormonal o resto da vida.  

Cirurgia  endoscópica (TOETVA)

Se o diagnóstico é de câncer na tireoide, o tratamento sempre é cirúrgico. Conforme cada paciente e sua condição clínica, agora a tireoidectomia total ou parcial também pode ser feita com acesso endoscópico dentro do lábio e não só pelo pescoço como a cirurgia tradicional, método conhecido por TOETVA (Trans Oral Endoscopic Thyreoidectomy Vestibular Approach).   Dependendo do tamanho da glândula, pode ser necessário fragmentá-la antes de sua remoção (através da incisão central no lábio), impedindo a disseminação de tecido tireoidiano no local cirúrgico. "A cirurgia endoscópica é feita com equipamentos de vídeo, a câmera aumenta a imagem e muda a forma como o cirurgião manipula e enxerga as estruturas da glândula, diminuindo certos riscos, a dor no pós-operatório e a cicatriz é invisível por dentro da boca ", afirma Rangel. Em casos de tumores que se espalharam para gânglios linfáticos do pescoço, a cirurgia deve ser associada à retirada dos gânglios afetados.   Para o paciente a recuperação é mais rápida, com menor edema no local, menor risco de lesões em nervos da laringe ou hipoparatireoidismo definitivo e sem cicatriz, que incomodam principalmente as mulheres.     Nódulos na tireoide são comuns e geralmente benignos, mesmo assim, em caso de algum sintoma, é importante consultar um médico para que a causa seja descoberta e tratada. "O câncer de tireoide requer tanto cuidado no tratamento quanto qualquer outro tipo de câncer, não deve ser visto como um câncer mais fácil ", finaliza Rangel.   







Website: http://www.rangelmd.com

Veja também:

A enfermeira que salvou três bebês de hospital atingido pela explosão em Beirute
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade