0

Brasileiros fazem picanha e mandioca cair no gosto do Americano e expandem seus negócios

Empreendedores brasileiros acertam na receita do arroz e feijão e buscam pessoas que queiram investir nos Estados Unidos.

16 abr 2018
17h34
  • separator
  • comentários

Picanha, feijoada, mandioca e Guaraná. Essa parece ser a fórmula simples para qualquer restaurante tradicional no Brasil e aquilo que alimenta milhões de brasileiros diariamente. Porém um grupo de brasileiros apostou que a nossa comida e nosso tempero poderiam agradar americanos e turistas que viajam para os Estados Unidos, e eles acertaram. Em um mercado em franca expansão nos Estados Unidos, que emprega mais de 14 milhões de pessoas e fatura quase US$ 1 trilhão, segundo a National Restaurant Association, a culinária brasileira vem encontrando o seu lugar ao sol por meio de pratos tradicionais.

Foto: DINO

Desde de 07 de Setembro de 2016, uma data icônica ao Brasil, o Brazilian Plate House tem sido um dos restaurantes brasileiros que participam desta estatistica e tem-se tornado uma parada obrigatória de muitos moradores de Los Angeles, na Califórnia que se deliciam em conhecer e explorar os temperos da culinária brasileira. "É incrível perceber a carência que o americano possui de uma comida saborosa e bem temperada, e a curiosidade que eles tem por entender nossos cortes e pratos" comenta Hanri Maroni, diretor de expansão da SevenBBD, responsável pela expansão deste conceito. "É muito interessante ver que, até por não termos uma comunidade brasileira muito grande como na Florida, Nova Iorque ou Massachusetts, os americanos e outras comunidades adotaram a nossa comida como sua preferida e, muitas vezes, como sua comida do dia a dia" completou.

E é exatamente isso o que se pode notar em visita ao Brazilian Plate House, onde se vê as cores do Brasil, os pratos do Brasil, um grande movimento e uma mistura de idiomas pelas mesas, em especial o Inglês. "Esse movimento foi uma grande surpresa no início, não estávamos preparados" diz Ketrin Ofilada, brasileira com cidadania americana e operadora de uma unidade Brazilian Plate House. "Junto da marca tivemos que retrabalhar alguns processos e criar alguns procedimentos para atender a demanda sem onerar a operação, tendo em vista que a Califórnia possui a mão de obra mais cara do país e isso exige ponderação" complementa Ofilada, sem detalhar quais ajustes foram realizados. "Hoje a operação flui bem, pois embora a ideia de um restaurante seja assustadora, nossa operação é extremamente simples pois todos os pratos são idênticos tendo como diferença apenas a proteína, normalmente picanha, frango, peixe ou linguiça e isso exige procedimentos muito mais simples e equipes mais enxutas" conclui. E é exatamente isso que se percebe ao observar a operação, muitos pratos, com poucas variações e uma cozinha extremamente rápida e otimizada, onde normalmente a espera do cliente é inferior a dez minutos.

Essa agilidade operacional certamente é um grande atrativo ao conceito. Não é incomum ver alguns restaurantes brasileiros com relativo sucesso nos Estados Unidos, mas pela primeira vez fomos capazes de encontrar um modelo realmente duplicável, onde cozinha e atendimento trabalham em total sinergia lembrando os conceitos mais difundidos de linha de produção, porém, entregando uma comida com sabores e temperos realmente caseiros. Ao experimentar uma picanha pode-se sentir um certo sabor de Rio Grande do Sul e ao saborear uma farofa logo nossa mente nos remete ao Nordeste do Brasil.

Os principais fatores que levaram ao sucesso do empreendimento, se percebe, na maneira de conduzir e abordar o negócio, que está adequado ao mercado americano. "Não foi um modelo importado do Brasil, ou algo que funcionou no Brasil e que agora está expandindo aos Estados Unidos, o Brazilian Plate House é um negócio nascido nos Estados Unidos, com um Business Plan americano e idealizado a partir do modelo de gestão americano" comenta Maroni. "Eu mesmo, quando vim aos Estados Unidos, em um primeiro momento, foi para trazer um negócio de enorme sucesso no Brasil, mas as dificuldades foram tantas que logo percebemos que havia a necessidade de um ajuste de foco e de uma padronização ao jeito americano de fazer negócios", completa.

De fato, ao examinar o tema, percebe-se que a grande maioria das marcas brasileiras que buscam expansão através de franquias nos Estados Unidos deixam o mercado em um período inferior a cinco anos por não conseguir se ajustar as peculiaridades americanas. Outras que conseguem permanecer no mercado, normalmente se limitam a ter unidades próprias ou a buscar máster franqueados no país para entender a know how americano e então trabalhar uma tímida expansão. "O fato de ser um negócio genuinamente americano, dá mais estabilidade ao brasileiro que pensa em investir aqui, e sem dúvida torna o investimento menor pois não há perdas marginais com adequação de processos." pondera Maroni. A National Restaurant Association demonstra que existe uma base racional para tal otimismo, apontando para um crescimento de mais de 10% na mão de obra relacionada a restaurantes até o ano de 2017, fazendo com que esta seja responsável por 10% da força de trabalho americana.

Não foram abertos os valores exatos de faturamento e rentabilidade do negócio, mas segundo Ketrin Ofilada "o faturamento girou em torno de US$ 500.000,00 em 2017 com uma rentabilidade acima de 20%" e segundo Hanri Maroni, os valores para investimento giram entre US$ 60.000,00 a US$ 100.000,00 "desconsiderando despesas imigratórias, de alugueis e pessoais" salienta. "Tais despesas devem ser levadas em consideração, pois variam muito mais do perfil pessoal do investidor do que o custo de vida ou despesas nos Estados Unidos" conclui.

Imaginando o potencial do sucesso do Brazilian Plate House em meio as comunidades brasileiras, pudemos perceber a grande abertura que há existe em mercados como a Florida, onde a SevenBBD já está desenvolvendo um escritório e em outros estados com grandes comunidades brasileiras, porém destaca-se o fato de que o negócio realmente despertou a atenção dos americanos, latinos e europeus que visitam ou moram nas proximidades, abrindo um mercado quase sem fim para expansão pelo país. Aliando um negócio que já estabeleceu um caso de sucesso, com as facilidades legais que tributárias que o mercado americano oferece em face ao mercado brasileiro, não será uma surpresa que cada canto dos Estados Unidos tenha essa bela representação da cultura e do sabor brasileiro.

Serviço:
Expansão: expansao@sevenbbd.com
Telefone: +1 305 890 7011 (WhatsApp)
Site: www.sevenbbd.com

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade