0

Áreas industriais contaminadas cresceram 44% no Estado de SP

19 mar 2018
14h43
  • separator
  • 0
  • comentários

Campinas, 19 de março de 2018. O processo de gerenciamento de áreas contaminadas é de grande interesse socioeconômico, e especialmente relevante sob uma visão ambiental, pois permite identificar e reabilitar tais áreas, e sobretudo proporcionar uma melhoria contínua na qualidade de vida da sociedade atual e suas gerações futuras.

Foto: DINO

Apesar da maior relevância obtida pelos assuntos ambientais nos últimos anos, dados atualizados pela CETESB no fim de 2017 revelam que as áreas industriais contaminadas cadastradas do Estado de São Paulo cresceram de 768 registros, para 1109, ou seja, houve um crescimento de 44,4% entre os anos de 2013 e 2017. Outro fato relevante é que do total de 5942 áreas contaminadas cadastradas, as áreas industriais representam apenas 18,6% do total de áreas catalogadas no Estado. Veja tabela de dados em https://goo.gl/p2pcXm.

O problema das áreas contaminadas pode ser muito maior do que se imagina, não somente pelo aumento visto nos últimos tempos, mas também por potencialmente ser muito maior que o esperado, uma vez que a CETESB possui catalogadas apenas 0,87% das áreas industriais do Estado de SP, quando se comparam dados da quantidade de áreas industriais listadas na CNI - Confederação Nacional da Indústria, a saber, 127.331 áreas.

Pedro Costa Real, geólogo pós-graduado em remediação de áreas contaminadas e também sócio da Poros Ambiental (consultoria especializada no desenvolvimento, implantação e acompanhamento de projetos de gerenciamento de áreas contaminadas) diz que "é fundamental para qualquer indústria em operação - seja ela uma PME ou uma grande corporação - implantar procedimentos de gerenciamento de áreas contaminadas em instalações industriais, uma vez que esses empreendimentos estão em diversos cenários de uso e ocupação de solo e utilizam as mais variadas substâncias químicas. A gestão das áreas contaminadas é uma ferramenta indispensável na conservação e recuperação do meio ambiente, e é uma pena que muitos empresários frequentemente vejam essa questão sob um aspecto negativo e se esqueçam do quanto uma correta abordagem do assunto possa potencializar a valorização econômica do seu empreendimento ou terreno e a melhoria da qualidade de vida para seus funcionários, além de moradores e trabalhadores do entorno da área contaminada".

Frente ao total de áreas contaminadas no Estado de São Paulo é interessante avaliar a distribuição das atividades executadas nessas localizações. A agricultura, um setor bastante associado à contaminação de solo, representa apenas 1% dos registros, e na contramão, o tradicional "posto de combustível", elemento urbano e muito pulverizado nas cidades, lideram a lista com 72% dos registros das áreas contaminadas. Veja gráfico completo em https://goo.gl/iKPTru.

"Embora o cenário atual seja alarmante, tendo em vista que menos de 1% do total de áreas industriais no Estado de São Paulo possui cadastro de áreas contaminadas na CETESB, existe uma previsão de mudança para os próximos anos, decorrente das ações estabelecidas pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente de São Paulo e a CETESB" afirma Samuel Cruz, geólogo e sócio da Poros Ambiental especializado em investigações geotécnicas e ambientais.

Sobre a Poros Ambiental (http://www.porosambiental.com.br/): A Poros Soluções Ambientais e Geológicas é uma consultoria especializada no desenvolvimento, implantação e acompanhamento de projetos ambientais, minerais e geotécnicos. Composta por corpo técnico multidisciplinar, a Poros é altamente capacitada para auxiliar seus clientes quanto à melhor tomada de decisão, seja ela no processo de gerenciamento de seus impactos ambientais, no âmbito da pesquisa mineral ou geotécnica, e de forma adequada às legislações vigentes.



Website: http://www.porosambiental.com.br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade