3 eventos ao vivo

ABCD organiza caminhada em SP para alertar a população sobre as DIIs e marca a Campanha Maio Roxo

19 mai 2017
15h24
  • separator
  • comentários

A Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD) em conjunto com médicos e pacientes promovem, neste domingo, o evento para conscientizar as pessoas sobre a importância do diagnóstico precoce das DIIs, Crohn e Retocolite Ulcerativa. Diarreia frequente, dor abdominal e, em determinados casos, sangramento retal são alguns dos sintomas comuns das duas doenças, de caráter crônico, que podem levar seus pacientes, em idade produtiva, a hospitalizações recorrentes e à incapacitação para o trabalho, causando também grande impacto na qualidade de vida, social e psicológica.

As doenças inflamatórias intestinais, Crohn e Retocolite Ulcerativa, são sérias, têm caráter crônico e afetam homens e mulheres indistintamente. O diagnóstico acontece geralmente por volta dos 30 anos de idade, impactando negativamente a força de trabalho e a vida familiar do paciente. De origem não totalmente conhecida, sabe-se que pode haver predisposição genética e que o meio ambiente exerce papel importante em seu desencadeamento (sabe-se que é mais comum em centros urbanos e/ou industrializados).

Tanto na retocolite ulcerativa quanto na Doença de Crohn, os sintomas são semelhantes: dor abdominal, podendo haver hemorragia retal, diarreia, urgência para evacuar e aumento na frequência e dos movimentos intestinais. Estes sintomas tendem a aparecer e desaparecer e podem afetar o nível nutricional do paciente, pois a inflamação consome alguns nutrientes. Pode haver também perda fecal de sangue, fluidos e eletrólitos, em decorrência da hemorragia e diarreias frequentes. Estima-se que 25 por cento dos pacientes podem ser submetidos a cirurgia em algum momento do curso da doença.

Enquanto a retocolite ulcerativa caracteriza-se por inflamação e úlceras no revestimento do cólon ou intestino grosso, a doença de Crohn envolve todo o intestino, sendo que em cerca de 30 por cento dos pacientes, o intestino fino (íleo) é a região mais afetada e, em 40 por cento, a região ileocecal. Ambas podem se manifestar entre 30 e 35 anos de idade.

"Como seus sintomas tendem a aparecer e desaparecer por um período e podem ser confundidos com de outras doenças, as DIIs podem demorar para serem diagnosticadas corretamente, o que pode levar o paciente a hospitalizações recorrentes e até à incapacitação para o trabalho. Entretanto, o diagnóstico precoce seguido do tratamento adequado pode preservar a qualidade de vida e a produtividade do paciente. Quanto mais cedo o diagnóstico, melhor o controle da doença", afirma a especialista Marta Brenner, presidente da ABCD, Professora de Gastroenterologia da PUC do Rio Grande do Sul e Coordenadora do Ambulatório de DII do Hospital São Lucas, da PUC-RS.


Informações no site: http://abcd.org.br/maioroxo/

Sobre ABCD - A ABCD é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 1999, com o objetivo de reunir os portadores das doenças inflamatórias intestinais e os profissionais de saúde da área, para promover a troca de experiências e facilitar a difusão das informações, por meio de grupos apoio, com acompanhamento de equipes profissionais multidisciplinares; intercâmbio com órgãos e instituições internacionais, para troca de experiência e atualização permanente; criação e distribuição de material educacional e programas de educação continuada para profissionais de saúde, entre outras atividades.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade