0

2º Encontro Científico de Geriatria do Hospital Santa Cruz abordou o tema 'Farmacoterapia: o que o idoso tem de peculiar?'

16 abr 2018
15h13
atualizado em 25/6/2018 às 13h22
  • separator
  • comentários

Com o envelhecimento, mudanças na composição corporal são normais e interferem na relação do organismo do idoso com os fármacos. Essa foi a premissa que pautou a palestra 'Farmacoterapia: o que o idoso tem de peculiar?', apresentada pela Dra. Juliana Pastorelli, da equipe do Núcleo de Geriatria do Hospital Santa Cruz, realizada no dia 3 de abril, no auditório do Hospital Santa Cruz, em São Paulo.

A conferência científica reuniu profissionais da saúde, que tiveram a oportunidade de se aprofundar nos temas destacados pela geriatra do HSC, como Farmacologia clínica (estudo dos fármacos); Farmacocinética (estudo dos fatores que alteram a concentração do medicamento); Farmacodinâmica (estudo do efeito bioquímico, fisiológico e mecanismo de ação da droga no órgão alvo); Iatrogênica (refere-se a doenças ou alterações patológicas criadas por efeitos colaterais dos medicamentos); Polifarmácia (uso simultâneo de dois ou mais medicamentos ou o uso desnecessário de pelo menos um medicamento); Reações adversas a medicamentos e Guia de Orientação à Prescrição do Idoso.

"Quando atendemos, devemos analisar cada caso de forma individualizada, levando em consideração o histórico de vida medicamentoso e nutricional, entre outros aspectos, além das condições de saúde naquele momento, que determinarão o tratamento e o acompanhamento do paciente", afirma Dra. Juliana Pastorelli. "Em se tratando de um idoso, a partir dessa análise, podemos aplicar os conceitos da Farmacocinética, que estuda os fatores que alteram a concentração do medicamento, ou seja, os processos sofridos no corpo ao ser administrado, como absorção, distribuição, metabolização e eliminação", complementam.

Com essa iniciativa, o Hospital Santa Cruz (HSC) - voltado também ao aperfeiçoamento profissional -, abre um importante espaço para a troca de conhecimento e o debate de procedimentos terapêuticos preventivos, cuidados e tratamentos para manter a saúde e o bem-estar das pessoas com mais de 60 anos. Promovido pelo Núcleo de Geriatria do HSC, os encontros acontecem mensalmente, sempre na segunda terça-feira do mês. O 3º encontro acontecerá no dia 8 de maio e o tema abordado será "Estratégias e desafios da desospitalização e longa permanência", apresentado pela Dra. Tatianna Rozzino, médica da equipe de Geriatria do HSC, e Elza Futigami, enfermeira especializada em desospitalização. O evento é aberto aos profissionais do hospital, médicos e enfermeiros, e para a comunidade de saúde em geral.

Para a coordenadora do Núcleo de Geriatria, Dra. Sumika Mori Lin, os encontros nasceram da necessidade de multiplicar o conhecimento sobre as peculiaridades no tratamento ao idoso, além de promover ações que ampliem e intensifiquem os cuidados preventivos. "Nos eventos, que acontecerão até dezembro, abordaremos diversos assuntos pertinentes à área. Acreditamos ser fundamental integrar os atendimentos dos profissionais da saúde, qualquer que seja sua especialidade e função, para que as pessoas com mais de 60 anos possam ser acolhidas e atendidas de forma cada vez mais adequada as suas condições", afirma.

Pesquisa recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, que registrou uma estimativa populacional de 207 milhões no Brasil em 2017, apontou um crescimento de 50% de pessoas acima de 60 anos na última década. De 17 milhões em 2007, para R$ 26 milhões em 2017, com previsão de chegar a 37 milhões de idosos em dez anos.

Segundo Dra. Sumika, esse crescimento, também percebido em outros países, deve estimular a população brasileira a fazer um planejamento para viver bem na idade mais madura. "Precisamos criar uma cultura de saúde e bem-estar na maturidade. O brasileiro não tem o hábito de planejar e se prevenir. É preciso adotar costumes mais saudáveis, atitudes preventivas e cuidar-se desde cedo, para que se possa chegar aos 80 e 90 anos em boas condições física, mental e psicológica", acrescenta.

Alguns dos temas que serão abordados nos encontros científicos da equipe de Geriatria do Hospital Santa Cruz são: 'Cuidados Paliativos: tratamento da dor, controle de sintomas, técnicas de conversação'; 'Síndrome de Fragilidade: aspectos farmacológicos, aspectos nutricionais e instrumentos diagnósticos'; 'Atenção primária à saúde: prevenções e exames, estilo de vida e envelhecimento'; 'Oncogeriatria: peculiaridades do tratamento do paciente idoso' e 'Atualizações terapêuticas'.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade