PUBLICIDADE

Desenvolvimento ferroviário: China lança primeiro trem bala de alta velocidade sobre água

Apesar de o aumento significativo de infraestrutura chinesa ser resultado de decisões políticas, pesquisadores argumentam que o país possui a capacidade de mobilizar extensa mão de obra e materiais mais baratos

27 jan 2024 - 16h56
Compartilhar
Exibir comentários

Com uma clara liderança no desenvolvimento ferroviário, a China anuncia mais um feito inédito: a primeira linha de alta velocidade construída sobre água. Esta nova rota ferroviária se estende por 277 km na região de Fujian. Essa porção fica próxima ao Estreito de Taiwan, conectando as cidades costeiras de Fuzhou, Zhangzhou e Xiamen, no sudeste chinês. Em dez anos, a China construiu quase 40 mil quilômetros de ferrovias de alta velocidade, ultrapassando a soma total do resto do mundo. Ainda, o país tem como meta atingir 70 mil quilômetros até 2035.

Trem bala chinês
Trem bala chinês
Foto: Reprodução/Youtube / Perfil Brasil

De acordo com a China Railway, a operadora ferroviária estatal, os trens nesse percurso atingem uma velocidade máxima de 350 km/h. Além disso, ao longo do trajeto, que inclui 84 pontes e 29 túneis, a equipe enfrentou um grande desafio pela geografia montanhosa regional. Nos 20 km sobre o mar, ele empregaram robôs inteligentes e materiais de aço resistentes à corrosão para a construção das estruturas sobre a água.

No dia 28 de setembro do ano passado, durante uma cerimônia em Fuzhou, o primeiro trem da linha fez sua estreia. Essa nova linha representa um dos diversos projetos de infraestrutura impulsionados pelo governo em 2016, quando o partido anunciou a iniciativa ferroviária.

Além disso, vale destacar que Fujian tem um papel geopolítico relevante. Nesse sentido, o governo não tomou a decisão de construir a linha ao acaso. Fujian é a parte da China continental mais próxima de Taiwan. Segundo a Xinhua, a agência de notícias governamental, no início de setembro, o Partido Comunista enfatizou a necessidade de "facilitar e melhorar a conectividade e integração entre Fujian e Taiwan".

Desenvolvimento ferroviário chinês x resto do mundo

Apesar de o aumento significativo de infraestrutura chinesa ser resultado de decisões políticas, pesquisadores argumentam que o país possui a capacidade de mobilizar extensa mão de obra e materiais mais baratos. Além disso, as empresas de construção fazem uso abundante de aço, alumínio e outros materiais com elevado teor de carbono, os quais são de origem local. Enquanto na China o custo para construir um quilômetro de trem bala varia entre 15 e 18 milhões de euros, na Europa, a mesma unidade tem um custo que varia entre 22 e 34 milhões de euros.

Outro motivo pelo qual a Europa não é uma concorrente significativa da China é que os esforços do continente europeu para desenvolver seu sistema de transporte ferroviário de alta velocidade são predominantemente conduzidos por iniciativas nacionais e individuais. Nesse sentido, não há um foco em cooperativas internacionais para coordenar horários, tarifas e atravessar fronteiras. Enquanto isso, a China adotou esse método para conectar o território, facilitar a defesa em regiões autônomas e demonstrar seu poderio tecnológico.

Como resultado, os índices de viagens ferroviárias são muito superiores ao de outros transportes e há uma grande disparidade em relação ao desenvolvimento ferroviário chinês e o restante do mundo.

*texto sob supervisão de Tomaz Belluomini

Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade