0

Prefeitos cobram 'comando sério' no País e recomendam manter isolamento

Para confederação nacional dos municípios, pronunciamento de Bolsonaro trouxe 'insegurança' e 'intranquilidade' à população

25 mar 2020
18h11
  • separator
  • 0
  • comentários

BRASÍLIA - Além das críticas de governadores ao discurso em que o presidente Jair Bolsonaro defendeu o fim do isolamento social como estratégia de contenção do novo coronavírus, prefeitos também se manifestaram de forma contrária à postura do chefe do Executivo.

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que representa os prefeitos e os municípios brasileiros, considerou que Bolsonaro agiu de forma inconsequente, mesmo estando preocupado com o futuro da economia. Para a entidade, o presidente trouxe "insegurança e intranquilidade" à população.

"A Federação brasileira, cooperativa por excelência, precisa contar com um comando geral organizado, sério e capaz de contemplar as diversas dificuldades que o país enfrenta; no entanto, não é, infelizmente, o que está acontecendo", diz a nota divulgada pela CNM, nesta quarta-feira, 25.

A manifestação também frisou que os gestores municipais têm preocupação com o impacto econômico da pandemia, mas que o momento é de cuidar da saúde da população, em especial a dos idosos. Por isso, a entidade recomenda que os prefeitos editem decretos de calamidade pública com regras para o comportamento das pessoas.

"Está comprovado que as medidas de isolamento social tardiamente implementadas levam à situação de caos na saúde pública e que os sistemas de saúde não têm como atender ao mesmo tempo um grande número de infectados; logo, é fundamental prevenir. Isolar, parar tudo o que não seja essencial, é prevenir, pois evita a circulação de pessoas e do vírus", frisou a entidade.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade