PUBLICIDADE

Mercados internacionais fecham em queda de olho em avanço da covid no mundo

Alta dos casos em parte da Europa, Índia e Brasil preocupa os investidores, que seguem monitorando o progresso das campanhas de vacinação

20 abr 2021
17h34 atualizado às 17h43
0comentários
17h34 atualizado às 17h43
Publicidade

Os principais índices do exterior fecharam em queda nesta terça-feira, 20, em um dia de aversão aos riscos nos mercados, diante do temor com o cenário da pandemia do coronavírus, que segue avançando em diversas regiões do globo. O petróleo também recuou hoje.

Nesta terça, o Goldman Sachs comentou que, em comparação com os Estados Unidos e o Reino Unido, a zona do euro e nações do centro e do Leste Europeu "têm enfrentado alguns meses desafiadores". O banco nota que os casos e hospitalizações pela doença seguem elevados nesses países, com progresso lento na vacinação, mas acredita que o quadro melhorará nos próximos meses.

Já Brasil e Índia têm levado o mundo a atravessar o ponto mais crítico da pandemia. O país asiático, em particular, teve mais de 1 milhão de casos da doença em apenas uma semana. A capital Nova Délih já enfrenta falta de oxigênio nos hospitais e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, descreveu a nova onda de infecções como uma "tempestade".

No noticiário econômico, o PBoC, como é conhecido o banco central chinês, decidiu nesta terça deixar inalteradas suas taxas de juros de referência para empréstimos de curto e longo prazos pelo 12º mês consecutivo. Na Alemanha, o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) subiu 3,7% em março, na comparação anual, na máxima desde novembro de 2011.

Petróleo

Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa nesta terça-feira, em sessão marcada por aversão ao risco nas mesas de operações. A cautela se intensificou após a aprovação na Comissão Judiciária da Câmara dos Representantes dos EUA de um projeto que deixaria países que fazem parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) sujeitos a processos antitruste. Não há, contudo, previsão de voto no plenário da Casa.

O barril do WTI com entrega prevista para junho encerrou o dia com perda de 1,20%, a US$ 62,67, enquanto o do Brent para o mesmo mês recuou 0,71%, a US$ 66,57.

Bolsa de Nova York

Na esteira da realização de lucros, Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq fecharam com quedas de 0,75%, 0,68% e 0,92%. Entre os balanços, a United Airlines teve baixa de 8,53%, após divulgar resultado para o primeiro trimestre abaixo do esperado ontem. Ainda no setor, Delta Airlines caiu 3,68% e American Airlines, 5,48%, em meio às dificuldades de retomada de viagens diante da covid. Ontem, os EUA revisaram recomendações de restrição para circulação em outros países.

A aversão aos riscos atingiu também o mercado de títulos públicos americano, com os rendimentos em baixa nesta terça.

Bolsas da Europa

O índice pan-europeu Stoxx 600, que concentra as principais empresas da região, fechou em baixa de 1,89%, enquanto a Bolsa de Londres recuou 2,00%, a de Paris teve queda de 2,09% e a de Frankfurt cedeu 1,55%. Milão, Madri e Lisboa baixaram 2,44%, 2,89% e 1,29% cada.

Bolsas da Ásia

A Bolsa de Tóquio teve expressiva queda de 1,97%, enquanto os índices chineses de Xangai e Shenzhen baixaram 0,13% e 0,07% cada. No lado positivo, o mercado de Hong Kong teve modesta alta de 0,10%, Seul subiu 0,68% e Taiwan avançou 0,35%. /MAIARA SANTIAGO, MATHEUS ANDRADE, GABRIEL BUENO DA COSTA E SÉRGIO CALDAS

Estadão
Publicidade
Publicidade