PUBLICIDADE

Hepatite misteriosa: adolescente passa por transplante em PE e caso é investigado

Garota de 14 anos apresentava vômito, icterícia e urina escura e entrou em estado de coma; até agora, nenhum caso da doença foi confirmado no País

21 mai 2022 00h18
| atualizado às 09h28
ver comentários
Publicidade
Cirurgia de transplante foi realizada no Hospital Universitário Oswaldo Cruz do Recife
Cirurgia de transplante foi realizada no Hospital Universitário Oswaldo Cruz do Recife
Foto: Secretaria Estadual de Saúde

Uma adolescente de 14 anos, de Ibimirim, sertão de Pernambuco, precisou passar por um transplante de fígado de emergência. A cirurgia foi realizada nesta sexta-feira, 20, no Hospital Universitário Oswaldo Cruz, no Recife.

De acordo com os médicos que realizaram o procedimento, a adolescente estava em estado de coma quando a cirurgia, de 6 horas de duração, teve início. A paciente deu entrada no hospital em estado grave e, pelos sintomas apresentados, ficou claro para os médicos que se tratava de uma doença no fígado. A adolescente apresentava vômito, icterícia e urina escura.

Os médicos afirmaram que vão continuar investigando os sintomas para tentar identificar a causa da doença. Antes de chegar ao Oswaldo Cruz, a jovem já havia passado por outras duas unidades de saúde: um hospital em Arcoverde (sertão do Estado) e o Hospital Mestre Vitalino, em Caruaru, agreste pernambucano.

Durante a entrevista coletiva, realizada após a finalização da cirurgia, o médico Cláudio Lacerda, um dos especialistas responsáveis pelo procedimento, afirmou que "o quadro clínico da adolescente teve início na semana passada, evoluindo para um caso de insuficiência hepática, considerada fulminante, o que levou ao coma. Nesses casos, a solução é um transplante de fígado, sob pena do paciente não sobreviver muitos dias", caso o procedimento não seja realizado.

"No caso desta adolescente, todos os exames foram realizados e não houve a identificação da causa da doença. Por isso, o diagnóstico dela seria de hepatite, em sua causa mais desconhecida."

Para a realização de um transplante de fígado, alguns critérios são levados em consideração: o tamanho do órgão, o grupo sanguíneo e o grau de gravidade do paciente. A adolescente pernambucana apresentava o grau mais elevado da doença.

O doador do fígado sofreu morte cerebral por traumatismo craniano, após um acidente no Paraná. A família do homem de 30 anos autorizou a doação do órgão na madrugada desta sexta-feira, 20, e a equipe médica local realizou a captação do órgão às 2hs da madrugada. Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou o transporte do fígado para o Recife e, às 9h, a cirurgia da adolescente teve início.

Cerca de 20 médicos especialistas estiveram envolvidos no procedimento cirúrgico para salvar a vida da adolescente. O médico Américo Gusmão relatou que, durante as próximas 48 horas, a menina deverá ficar em observação. Após este período, ela deverá ser encaminhada para um dos quartos da unidade hospitalar. "Tudo depende da evolução do quadro. Se tudo correr bem, que é o que se espera, no máximo em 72 horas a adolescente vai para um quarto hospitalar." Segundo Américo Gusmão, após uma semana do procedimento deverá ser iniciado o uso dos medicamentos para evitar a rejeição do órgão.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, por meio de nota, o Ministério da Saúde foi notificado sobre este possível caso de hepatite misteriosa no Estado. Com o caso da adolescente, já são seis o número de notificações suspeitas da doença em Pernambuco. Destes, um caso já foi descartado e cinco seguem sendo investigados.

Até o momento, 70 casos suspeitos de hepatite misteriosa foram notificados em todo País ao Ministério da Saúde, sendo que 12 casos já foram descartados e 58 ainda estão em fase de investigação. Nenhum caso foi confirmado oficialmente pelo órgão federal.

Estadão
Publicidade
Publicidade