Grupo invade rádio ameaçando agredir crítico de Bolsonaro

Comunicador registrou um boletim de ocorrência; Polícia Civil diz que caso está sendo investigado pela delegacia do município

8 abr 2021
16h37 atualizado às 16h43
0comentários
16h37 atualizado às 16h43
Publicidade

Quatro homens invadiram um estúdio de rádio na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco, na noite de terça-feira, 6, e ameaçaram agredir um apresentador por ele ter criticado o presidente Jair Bolsonaro na gestão da pandemia. Na ocasião, o radialista Júnior Albuquerque chamou a atenção dos eleitores do presidente para que cobrassem de Bolsonaro uma mudança de postura.

Um dos homens - que não teve a identidade divulgada - chegou a ameaçar agredir fisicamente o radialista e dizer que o esperaria do lado de fora da rádio ao final do programa. Apesar de terem ido embora, os funcionários da rádio acionaram a guarda municipal para proteger o radialista.

Invasão em estúdio de rádio está sendo investigada pela delegacia do município
Invasão em estúdio de rádio está sendo investigada pela delegacia do município
Foto: Reprodução / Twitter / Estadão

O comentário que não agradou os bolsonaristas foi feito no dia 30 de março, em um programa de cunho opinativo realizado nas terças-feiras, quando o assunto era a gravidade da pandemia da covid-19 no Brasil. "Eu fiz uma alusão a Hitler, falando que ele não podia ser culpado, sozinho, por todo o genocídio da Alemanha na década de 1930 e 1940, com a Segunda Guerra Mundial, que ele só havia conseguido chegar ao poder e fazer o que fez porque teve gente dando cobertura, apoiando, fazendo fake news, já naquela época. E eu disse: 'Vocês, eleitores de Bolsonaro, se não mudarem de postura, passando a cobrar do presidente que mude a política sanitária genocida que o Pazuello (na época ainda era o Ministro da Saúde) está fazendo, vocês também serão culpados e a história vai dizer isso", disse Albuquerque.

O comunicador disse que, após expor sua opinião, passou a receber diversas ameaças no WhatsApp até a rádio ser invadida na semana seguinte: "Tentaram me intimidar". O radialista registrou um boletim de ocorrência na mesma noite do ocorrido e disse que também vai prestar uma queixa no Ministério Público nesta sexta-feira, 9. A Polícia Civil de Pernambuco informou que o caso está sendo investigado pela delegacia do município.

Estadão
Publicidade
Publicidade