PUBLICIDADE

Estudo vai avaliar efetividade da vacina em 13 municípios de fronteira em Mato Grosso do Sul

A aplicação das doses deve começar semana que vem e vão durar de 15 a 21 dias. Estado já recebeu parte das vacinas para a pesquisa nesta quinta-feira

25 jun 2021 10h02
ver comentários
Publicidade

CAMPO GRANDE - Um estudo liderado pelo infectologista e pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) Júlio Croda pretende avaliar o impacto e a efetividade da vacina em uma população de 150 mil pessoas que vivem em 13 municípios da região de fronteira em Mato Grosso do Sul.

Segundo o pesquisador, as aplicações devem começar semana que vem e devem durar de 15 a 21 dias. Nesta quinta-feira, 24, Mato Grosso do Sul recebeu a primeira parte das vacinas, somando 19.050 doses. No entanto, são 150 mil ao todo. A próxima parte, ainda sem quantitativo, deve chegar na próxima semana.

Divulgado nesta quinta-feira, o estudo é encaminhado pelo Vebra Covid-19 (Vaccine Effectiveness in Brazil Against Covid-19), que reúne pesquisadores brasileiros e estrangeiros da Fiocruz, do Instituto Global de Saúde de Barcelona e outras instituições.

O estudo quer verificar o impacto da vacina da Janssen no público escolhido - que tem entre 18 e 50 anos de idade - em relação à efetividade da dose única, após 14 dias, na redução de riscos de formas sintomáticas, graves e de óbitos por covid-19 na região, promovendo um cinturão sanitário.

Segundo Júlio, a preocupação com a região de fronteira está relacionada às variantes do novo coronavírus. Com a circulação maciça e sem grandes restrições entre as cidades localizadas nos três países (Brasil, Paraguai e Bolívia) e ainda, o turismo frequente, aumentam os riscos de contaminação com as mutações do vírus.

Os municípios que vão fazer parte do estudo de vacinação em massa são Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá e Ladário.

Estadão
Publicidade
Publicidade