PUBLICIDADE

Ao menos 4,2 mil adolescentes sem comorbidade já foram internados com covid-19 no Brasil

Número corresponde a 60% das pessoas de 12 a 17 anos hospitalizadas com a doença; Ministério da Saúde mandou suspender vacinação desse grupo esta semana, o que foi criticado por especialistas

17 set 2021 15h38
| atualizado às 16h34
ver comentários
Publicidade

Desde o início da pandemia, 7.063 adolescentes foram internados com covid-19 no Brasil. Destes, 60% eram jovens saudáveis, sem nenhum fator de risco para a doença. O número de óbitos entre pessoas de 12 a 17 anos já chega a 657 e especialistas ressaltam que os sobreviventes ainda precisam se recuperar das sequelas.

Embora a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e especialistas recomendem a vacinação de todos os adolescentes entre 12 e 17 anos, o Ministério da Saúde decidiu nesta semana desaconselhar a aplicação para os jovens dessa faixa etária sem comorbidade. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, admitiu nesta quinta-feira, 16, que o pedido para rever a orientação partiu do presidente Jair Bolsonaro. Cidades e Estados se dividiram sobre seguir a diretriz federal.

"Na pediatria, os adolescentes são o grupo com maior incidência de comorbidades, então são mais acometidos pela covid-19", diz Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações. A médica afirma que as mortes por covid-19 entre os menores de 18 anos se concentram, principalmente, em adolescentes e bebês com menos de um ano.

Dados do Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) do Ministério da Saúde compilados pelo Estadão mostram que 4.283 adolescentes sem comorbidades foram internados com covid-19 em todo o País. Além disso, um em cada três jovens mortos pela doença não tinha nenhum fator de risco, como diabete, obesidade ou síndrome de Down, entre outros.

Estadão
Publicidade
Publicidade