PUBLICIDADE

Recorde de calor em junho em 147 anos no Japão

Nos últimos dias o Japão está passando por uma sequência de recordes de temperaturas, e com uma forte onda de calor.

2 jul 2022 - 18h22
(atualizado em 3/7/2022 às 10h46)
Ver comentários
Publicidade

Foto: JAMSTEC

Nos últimos dias o Japão está enfrentando uma forte onda de calor e um tempo seco sobre parte do Japão, por conta da atuação de uma área de alta pressão atmosférica.

E a Agência Meteorológica do Japão declarou que a estação chuvosa no país encerrou mais cedo do que o normal, o mais cedo desde seus registros, de 1951.

O período mais chuvoso no Japão geralmente vai do começo de junho e termina em meados de julho, e desta vez foi de três semanas mais curtas do que a média do ano. Durando apenas 21 dias. 

Além disso, o grande destaque é as altas temperaturas recentes no Japão, com recordes históricos para Junho. Na cidade de Isesaki, a noroeste de Tóquio, a máxima chegou aos 40,2°C em 25 de junho de 2022, sendo a temperatura mais alta para um mês de junho na cidade e do nível nacional desde que os seus registros - em 1875 (há 147 anos).  

Quebrando o recorde anterior do dia mais quente para um mês de junho no Japão - que era de 39,8°C em 24 de junho de 2011.

Tóquio também merece atenção, pois teve o recorde de maior temperatura máxima para um mês de junho da sua histórica, com 36,4°C em 30 de junho. Além disso, teve cinco dias seguidos com máximas acima dos 35°C em junho, sendo a maior sequência de dias com bastante calor para um mês de junho desde 1875. Ou seja, em 147 anos.

Foto: Climatempo

Sequência de dias longos acima dos 35°C em Tóquio. Fonte:  Sayaka Mori e Agência Meteorológica do Japão

Neste sábado (02) fez 35,2°C na capital do Japão, sendo o oitavo dia seguido com temperaturas acima dos 35°C, igualando assim com o ano de 2015(entre 31 de julho e 07 de agosto de 2015) como os dias mais longos e quentes da história da cidade, desde 1875.

Além disso, Tóquio registrou um calorão de 37°C em primeiro de julho, a mais alta nesse período em 147 anos de história.

Consequências e motivo da onda de calor e do tempo seco no Japão

O Japão enfrenta falta de energia desde março, quando um terremoto no nordeste desligou algumas das usinas nucleares do país, e também recentemente o governo japonês pediu às empresas e famílias que reduzissem o uso de energia das 15h às 18h. em alguns dias, durante essa onda de calor e tempo seco.  

Pelos dados da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional(NOAA), o centro sul e o norte do Japão estão com um déficit entre 50 e 200mm de chuva do início abril à junho deste ano de 2022, conforme o mapa abaixo.

Por consequência também, o reservatório da Barragem de Sameura está com 34,9% da capacidade, menos da metade do seu nível normal para esta época do ano. Há preocupações de que seque em julho.

Isso tudo tem relação com a atuação de uma área de alta pressão atmosférica persistente no Japão, que provoca uma redoma de calor. Além da influência do fenômeno La Niña que ajuda na formação dessas ondas de calor e da ausência de chuva por mais tempo pelo país. Pois, durante esse fenômeno há um deslocamento das correntes de jato (que ficam a mais de 9 km de altitude) e da posição da alta pressão atmosférica do norte do Oceano Pacífico. Além dos efeitos das mudanças climáticas.

Lembrando que a redoma de calor (ou cúpula de calor) é quando uma área de alta pressão atmosférica fica parada por um longo tempo em uma grande parte do continente e permanece lá por dias ou até semanas. Funcionando assim como uma tampa em uma panela, prendendo uma massa de ar muito quente por baixo. O que traz uma consequência de ondas de calor, que pode resultar até em mortes. A cúpula de calor resulta em uma massa de ar estável e persistente que começa a se acumular dentro da tampa e desenvolve a onda de calor, muitas vezes muito intensa e duradoura. As temperaturas observadas durante uma onda de calor são normalmente bem acima do normal e muitas vezes quebram os recordes existentes, como as de agora no Japão.

Foto: Climatempo

O que se espera em anos de La Niña no Mundo e no Japão entre junho e agosto. Fonte: Agência Japonesa de Ciência e Tecnologia da Terra Marinha(JAMSTEC)

Foto: Climatempo

Anomalia de chuva entre 02 de abril de 2022 e 30 de junho no Japão e Sul e leste da Asia, de acordo com as imagens de satélite no canal do micro-ondas. Fonte:Administração Oceânica e Atmosférica Nacional(NOAA)

Tendência para os próximos dias no Japão

As temperaturas devem seguir elevadas e acima da média nos próximos dias no  centro norte e sul do Japão.

Foto: Climatempo
Foto: Climatempo

Previsão de temperaturas elevadas e acima da média no Japão. Fonte: Agência Japonesa de Ciência e Tecnologia da Terra Marinha(JAMSTEC)

 Previsão da chegada de uma tempestade tropical Aere no Japão

Destaca-se também uma tempestade tropical de nome Aere, no Oceano Pacífico, próximo do sul do Japão, que se formou no dia 30 de junho e agora mais próximo do país, com ventos do sistema que alcançaram os 80,5km/h.

A tendência é que na segunda-feira (04) Aere já atinja o Japão causando chuvas intensas, com raios e fortes rajadas de vento. Aere percorrerá o país, mesmo sendo rebaixado a categoria de depressão tropical, causando inclusive instabilidades até mesmo em Tóquio. Destaca-se os acumulados entre 100 e 300mm até o dia 08 de julho na metade sul do Japão, por conta desse sistema.

Foto: Climatempo

 Caminho da Tempestade tropical Aere. Fonte:Agência Meteorológica do Japão

Foto: Climatempo

Acumulados de chuva até o dia 09 de julho de 2022. Fonte: Tropicaltidbits

Climatempo
Publicidade
Publicidade