PUBLICIDADE

Novembro termina com tempo seco na Região Sul do país

O reflexo da pouca chuva vem sendo sentido desde meados do início do ano em boa parte da Região. Confira!

30 nov 2021 16h58
ver comentários
Publicidade

Foto: Nova Esperança (PR) por, Stefanie Tozzo

Dias quentes e secos têm sido o grande destaque em áreas da Região Sul do país neste fim de novembro, mas os reflexos da pouca chuva vem sendo sentido a um pouco mais de tempo - pelo menos desde meados do verão de 2020.

Um dos grandes responsáveis pelas chuvas irregulares e mal distribuídas é a atuação do fenômeno La Niña, caracterizado pelo resfriamento das águas da Pacífico Central Leste, cujo impacto é mudar o regime de chuvas e temperatura na América do Sul e também no Brasil. E como todo desequilíbrio gera um impacto, uma das principais consequências foi o racionamento e o rodízio de água, vivido por algumas cidades do estado do Paraná e do Rio Grande do Sul.

Curitiba e cidades da Região Metropolitana do Paraná ainda vivem o cenário do rodízio e seguem o sistema de cortes a cada 36 horas, ou seja, um dia e meio com água, um dia e meio sem. Algumas cidades do estado do Rio Grande do Sul, também tiveram impactos na produção da nova safra do milho, pois a chuva não foi suficiente no enchimento de grãos, havendo nesses caso a necessidade de replantio.

Além da pouca chuva, as temperaturas também ficaram altas em boa parte dos 3 estados, e a maior parte dos dias foram ensolarados e quentes.

Novembro termina com tempo seco na Região Sul do país

Novembro vai se despedir com tempo e os primeiros dias de dezembro não serão diferentes. A tendência é que até o fim da próxima semana a chuva caia de forma muito irregular e mal distribuída nos três estados da Região Sul. Alguns volumes mais consideráveis de chuva devem ocorrer em áreas litorâneas, desde o litoral do Rio Grande do Sul até o Paraná, como mostra pelo mapa de chuva acumulada entre os dias 30 de novembro a 4 de dezembro. 

Foto: Climatempo

Mapa de chuva acumulada de 30 de novembro de 2021 a 4 de dezembro de 2021

Mas nas outras regiões, especialmente do interior, o sol predomina e o tempo segue firme e seco, o que colabora para a baixa umidade relativa do ar. Em algumas áreas, especialmente mais ao oeste, onde as temperaturas vão ficar mais altas, a tendência é de dias com tempo bastante seco e com umidade baixa nas horas mais quentes - podendo ficar entre 20% e 30% de umidade do ar, enquanto, o recomendado pela Organização Mundial de Saúde é em torno dos 60%. Vale reforçar a hidratação e o uso de filtro solar!

Confira abaixo os extremos de umidade relativa do ar!

Foto: Climatempo

 

Atenção para baixa umidade relativa do ar

Foto: Climatempo

Vale ressaltar que além da falta das chuvas as altas temperaturas seguem nos próximos dias na maior parte da Região.

Climatempo
Publicidade
Publicidade