PUBLICIDADE

Julho termina com onda de frio intensa e neve

Massa de ar frio de origem polar da última semana do mês deve ser a mais forte deste ano até agora. Geada e neve voltam a ocorrer em vários estados.

25 jul 2021 00h15
| atualizado às 10h09
ver comentários
Publicidade

Julho se despende com frio muito intenso em vários estados do Brasil, temperaturas negativas, muita geada e novamente a chance de neve ,e por mais de um dia consecutivo. Tudo isso é consequência de uma grande e forte frente fria que avança sobre o país na última semana de julho de 2021, que virá associada a uma massa de ar frio de origem polar  muito forte, possivelmente a mais forte deste ano até agora, e a um ciclone extratropical, que será importante para a ocorrência da neve e de outras precipitações de inverno.

Saiba porque a massa de ar frio de origem polar desta frente fria está sendo tão comentada e o que realmente é possível ocorrer, com análises cuidadosas dos meteorologistas da Climatempo. Não vamos  "esconder o frio", mas vamos esclarecer a situação meteorológica do fim de julho de 2021 que, de fato, é especial, vai exigir esforços redobrados de toda a nossa equipe de operação e de comunicação, para monitorar e informar para o grande público, os muitos eventos meteorológicos excepcionais associados com a passagem desta intensa frente fria de inverno sobre o país.

Confira a seguir tudo que pode ocorrer durante a passagem desta grande e forte frente fria sobre o Brasil, no período de 26 a 31 de julho de 2021.

Quando a frente fria vai chegar?

A frente fria que traz a forte massa de ar frio chega ao Rio Grande do Sul na segunda-feira, 26 de julho, com chuva e queda da temperatura no estado. No dia 27 de julho, terça, as nuvens com chuva e o ar frio se espalham sobre Santa Catarina, Paraná e pelo oeste e sul de Mato Grosso do Sul.  São Paulo tem dia quente e o extremo sul do estado poderá  ter alguma chuva.

Durante os dias 28 e 29 de julho, a frente fria avança sobre os estados do Sudeste e do Centro-Oeste, mas a chuva será em poucas áreas de alguns estados. O ar frio de origem polar entra  mais forte sobre o Brasil causando queda de temperatura mais intensa no Sul, em muitas áreas do Sudeste e do Centro-Oeste e chegando a Rondônia, Acre e ao sul do Amazonas.

No dia 29 de julho, a Climatempo prevê que esta frente fria tecnicamente já terá efeito sobre o sul do Pará, Tocantins e oeste/sul da Bahia, especialmente estimulando alguma nebulosidade, mas a chance de chover é baixa. O vento frio chega moderado a estas áreas e ameniza o calor.

Nos dias 30 e 31 de julho, esta frente fria deve continuar seu deslocamento sobre o Nordeste, estimulando a chuva pelo leste da Bahia e Sergipe.

Quando será o pico do frio?

Para a maioria das áreas do Brasil que serão influenciadas por esta forte massa de ar de origem polar, o pico do frio acontece nos dias 29 e 30 de julho, quinta e sexta-feira, quando se espera as mais baixas temperaturas no país, dentro dos dias de atuação desta onda de frio.

É nesses dias que o centro da massa de ar frio, que é a região onde o frio é mais intenso, estará ingressando (29) e ainda passando sobre o Rio Grande do Sul. Mas é possível que no dia 31 de julho, algumas regiões gaúchas esfriem um pouco mais.

É fato que esta onda de frio será tão intensa quanto a observada entre os dias 19 e 21 de julho de 2021, especialmente na região Sul do Brasil. Por isso, áreas que já foram prejudicadas devido às duas ondas de frio que atingiram o país, devem manter alerta redobrado ao final do mês para o frio que volta a tomar conta de parte do território brasileiro. 

Qual a menor temperatura estimada nesta onda de frio?

Até o dia 24 de julho, a menor temperatura registrada no Brasil  em 2021 foi de -8,2°C, no dia 20 de julho, em Urupema, localizada na parte mais elevada da serra de Santa Catarina, conforme medição do Epagri-Ciram.

A Climatempo estima que um novo recorde poderá ser estabelecido, muito provavelmente na serra catarinense ou gaúcha, com algum valor entre -8°C e -10°C.

Risco de morte de pessoas

O resfriamento sobre os estados da Região Sul, em São Paulo e em Mato Grosso do Sul, em áreas do centro-sul do Rio de Janeiro, centro-sul de Minas Gerais, Triângulo Mineiro, sul de Goiás, sul e oeste de Mato Grosso será intenso nos últimos dias de julho de 2021. Além da baixa temperatura, a sensação térmica de frio será aumentada pela ação de ventos moderados. 

A sequência de dias gelados poderá causar, direta ou indiretamente, a morte de pessoas em situação vulnerável e de moradores de rua, quer por hipotermia ou uso de aquecedores inadequados, fogareiros, pequenas fogueiras à base de algum combustível. Atenção especial com as pessoas idosas e crianças.

Temperatura abaixo de zero

A passagem desta nova massa de ar frio tem potencial para realmente gelar o Brasil novamente. Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Sul de Minas e o Sul do Rio de Janeiro poderão registrar temperaturas negativas.

O atual recorde de frio no Brasil, considerando locais habitados, com atividade humana regular, é de -8,2°C no dia 20 de julho, em Urupema, cidade na parte mais elevada da serra de Santa Catarina, conforme medição do Epagri-Ciram.

No dia 1 de julho houve registro de -9,9°C na estação localizada no parque nacional do Itatiaia, a 2450 m de altitude. Por ser um lugar desabitado, a Climatempo adota como critério não considerar os dados desta estação para efeito de temperaturas recordes no Brasil

Neve 

O ar frio intenso combinado à entrada de umidade prevista para o final da próxima semana, favorece a ocorrência de diversos tipos de precipitação invernal, inclusive queda de neve! A chance de nevar prognosticada pelos modelos atmosféricos é muito maior agora do que nos eventos das ondas de frio de meados de julho e da virada de junho para julho.

A neve é esperada para os dias 28 e 29 de julho nas áreas de planalto e serra do Rio Grande do Sul, planalto sul, serra, planalto norte e meio-oeste de Santa Catarina, e no sul do Paraná.

Não se descarta completamente alguma precipitação de inverno no extremo sul gaúcho, região entre Pelotas, Bagé e o Chuí.

Confira o mapa da previsão de neve

Foto: Climatempo

Possibilidade de neve no Sul do Brasil em 28 e 29 de julho de 2021

Geada

A geada volta a se formar nos estados do Sul, em São Paulo, em Mato Grosso do Sul, no Sul de Minas e também há condições para geada no Sul do Rio de janeiro e na região serrana fluminense

Porém, os estados da Região Sul devem experimentar novamente geada ampla e de forte intensidade, que certamente vão causar mais prejuízos para a agricultura. 

Numa escala de alerta de geada, o risco é altíssimo os estados do Sul, inclusive de geada forte; risco alto no sul de Mato Grosso do Sul e no oeste e sul de São Paulo e na Mantiqueira; risco médio na região serrana do Rio de Janeiro e na Grande São Paulo.

Atenção: há indicação de reforço de ar frio para o início de agosto. É possível que a primeira semana deste mês ainda seja muito fria no Sul e no Sudeste, e com noites frias no Centro-Oeste, em função da entrada de mais ar polar. Se isto se confirmar, a chance de geada deve permanecer média a alta no Sudeste e no Sul do Brasil

Recordes de frio em capitais

Novos recordes de frio, pelo menos para o ano de 2021, poderão ser estabelecidos nas capitais da Região Sul, do Sudeste e em Campo Grande.

Confira as estimativas de temperatura mais audaciosas feitas pela Climatempo, dos menores valores que poderão ocorrer em diversas capitais, entre os dias 27 e 31 de julho de 2021,  período de atuação desta nova e forte massa de ar frio de origem. Todas as previsões foram feitas com base nas condições atmosféricas observadas até o dia 24 de julho e poderão sofrer alterações para mais ou para menos, à medida que se observa o impacto real da onda de frio.

A maior chance de novos recordes de frio é para as capitais: Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Campo Grande, São Paulo e Belo Horizonte.

Porto Alegre: entre 2,0°C e 4,0°C 

Florianópolis: entre 4,0°C e 6,0°C

Curitiba: -2,0°C a 0,0°C 

São Paulo: entre 3,0°C e 5,0°C 

Rio de Janeiro: entre 8,0°C e 10,0°C

Belo Horizonte: entre 9,0°C e 11,0°C

Vitória: entre 12°C e 14,0°C

Campo Grande: entre 4,0°C e 6,0°C

Cuiabá: entre 9,0°C e 11,0°C

Goiânia: entre 10,0°C e 12,0°C

Brasília: entre 9,0°C e 11,0°C

Porto Velho: entre 12,0°C e 14,0°C

Rio Branco: entre 11,0°C e 13,0°C

Ciclone extratropical

O ciclone extratropical associado a esta frente fria deve ser organizar sobre o mar, durante o dia 26 de julho, próximo do litoral da província de Buenos Aires, na Argentina, e do Uruguai. Porém, no decorrer do dia 28 de julho, quarta-feira, este ciclone se intensifica e começa a avançar pelo oceano em direção ao litoral do Rio Grande do Sul. No dia 29 de julho, o ciclone ainda estará na costa gaúcha.

A circulação ciclônica (no sentido das horas do relógio) acontece ao mesmo tempo em vários níveis da atmosfera e  vai injetar umidade sobre o Sul do Brasil nos dias 28 e 29 de julho de 2021.

É essa umidade e o ar gelado que estará entrando sobre o Sul do Brasil que vai permitir a formação das precipitações de inverno.

A combinação de ciclone extratropical próximo do litoral da Região Sul, ao mesmo tempo que ocorre a entrada de muito ar frio é a situação ideal para a formação de nuvens que podem conter neve.

Ressaca

Este ciclone extratropical também será responsável por forte agitação marítima que vai gerar grandes ondas que vão se espalhar pela costa do Sul e do Sudeste entre os dias 28 e 30 de julho. O alerta é para ressacas que podem ser as mais fortes deste ano até agora

Quais os estados que vão sentir um ou mais fenômenos de inverno com a passagem desta forte frente fria?

Estes fenômenos devem ser observados em pelo menos 1 dia no período de 26 a 31 de julho de 2021. Acompanhe diariamente as previsões pela Climatempo e fique sempre atualizado 

Rio Grande do Sul: temperatura negativa, frio extremo, sensação térmica de muito frio, neve, geada forte, vento forte, mar muito agitado e ressaca forte, chuva moderada a forte, acentuada queda do nível de umidade no ar; 

Santa Catarina: temperatura negativa, frio extremo, sensação térmica de muito frio, neve, geada forte, vento forte, mar muito agitado e ressaca forte, chuva moderada a forte, acentuada queda do nível de umidade no ar;

Paraná: temperatura negativa, frio extremo, sensação térmica de muito frio, neve, geada forte, vento forte, mar muito agitado e ressaca forte, chuva moderada a forte, acentuada queda do nível de umidade no ar;

São Paulo: temperatura negativa, frio intenso, sensação térmica de muito frio, geada moderada, vento moderado a forte, mar muito agitado e ressaca forte, chuva moderada a forte, acentuada queda do nível de umidade no ar;

Rio de Janeiro: sequência de dias com temperatura baixa e sensação térmica de frio, geada, vento moderado a forte; temperatura negativa  (parque nacional do Itatiaia), mar muito agitado e ressaca forte, chuva moderada;

Espírito Santo: queda acentuada da temperatura, vento moderado a frio, chuva moderada, mar agitado e risco de ressaca;  

Mato Grosso do Sul: temperatura negativa, frio intenso, sensação térmica de muito frio, geada moderada a forte, vento moderado a forte, chuva moderada a forte, acentuada queda do nível de umidade no ar;

Mato Grosso: acentuada queda da temperatura, ventos moderados a fortes e acentuada queda do nível de umidade no ar;

Goiás: acentuada queda da temperatura, ventos moderados a fortes e acentuada queda do nível de umidade no ar

Distrito Federal: acentuada queda da temperatura, ventos moderados a fortes e acentuada queda do nível de umidade no ar

Rondônia: friagem moderada a forte ( acentuada queda da temperatura provocada especificamente pela passagem de ar frio de origem, ventos moderados a fortes, pancadas de chuva  acentuada queda do nível de umidade no ar;

Acre: friagem moderada a forte ( acentuada queda da temperatura provocada especificamente pela passagem de ar frio de origem polar), ventos moderados a fortes, pancadas de chuva  acentuada queda do nível de umidade no ar;

Amazonas: friagem moderada a forte no sul do estado ( acentuada queda da temperatura provocada especificamente pela passagem de ar frio de origem polar), ventos moderados a fortes, pancadas de chuva  acentuada queda do nível de umidade no ar no sul do estado;

Pará: no sul do estado, queda da temperatura suficiente para aliviar o calor  e alguns dias com noites amenas, ventos moderados e acentuada queda do nível de umidade no ar

Tocantins: no sul do estado, queda da temperatura suficiente para aliviar o calor  e alguns dias com noites amenas, ventos moderados e acentuada queda do nível de umidade no ar;

Bahia: vento moderado a forte no litoral, mar agitado, pancadas de chuva moderadas no litoral, queda da temperatura no interior do estado, suficiente para deixar as noites amenas e tardes menos quentes, vento moderado no interior;

Sergipe: aumento da nebulosidade e da chuva, ventos moderados e ligeira queda da temperatura;

Climatempo
Publicidade
Publicidade