PUBLICIDADE

Excesso de nuvens prejudica lavouras em GO e MT

Por outro lado, falta de chuva já provoca perda de produtividade do milho em áreas do Sul do BR

7 dez 2021 15h11
ver comentários
Publicidade

A "gangorra" da chuva emperrou sobre o centro e norte do Brasil desde o início de novembro. Chove intensa e frequentemente sobre estados como Rondônia, Mato Grosso, Pará, Tocantins, Minas Gerais, Espírito Santo, Piauí e Maranhão, muitos municípios com 150mm apenas nos últimos sete dias.

De acordo com a Conab, o excesso de nebulosidade prejudica lavouras no centro e norte dos Estados de Goiás e de Mato Grosso. Por outro lado, observa-se estiagem na Região Sul, oeste e sul de São Paulo e no sul e leste de Mato Grosso do Sul. Do ponto de vista de umidade do solo, a situação é mais grave na divisa tríplice do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Milho

Já há penalização da produtividade do milho pela falta de chuva nas regiões geográficas intermediárias de Santa Maria e de Santa Cruz do Sul/Lajeado, no Rio Grande do Sul, e nas regiões geográficas imediatas de Foz do Iguaçu, Cascavel, Toledo, Marechal Cândido Rondon, Umuarama, Loanda, Paranavaí, Cianorte e Campo Mourão. De acordo com a Emater, a região de Ijuí também sente os efeitos da diminuição da chuva com perda de 40% do potencial produtivo.

De acordo com a Conab, 75% das áreas de milho primeira safra foram instalados, sendo pouco mais de 65% em desenvolvimento vegetativo, quase 30% em floração e emergência e uns 5% em enchimento de grãos.

Soja

Na soja, também há perdas no noroeste do Paraná e sul de Mato Grosso do Sul, enquanto o plantio no Rio Grande do Sul avança de forma mais lenta que a ideal.

Ainda assim, naturalmente, a maior parte das áreas instaladas no Brasil estão em boas condições de desenvolvimento. Ao todo, 91% das áreas foram instaladas no Brasil, de acordo com a Conab. Destes, 75% estão em desenvolvimento vegetativo, pouco mais de 20% estão ou em floração ou emergência e os 5% restantes estão em enchimento de grãos.

Algodão

Uma novidade foi o início do plantio do algodão. Até 27 de novembro, 10% das áreas de Goiás, 4% de Mato Grosso do Sul e 5% da Bahia já tinham sido instaladas.

Tendência do clima 

A formação de um sistema meteorológico chamado de Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) causa chuva muito intensa entre o norte do Espírito Santo, sul da Bahia e nordeste de Minas Gerais até a quinta-feira (09/12) com acumulados acima dos 200mm em alguns municípios produtores de café, mamão, cacau, além de pecuária.

A chuva forte paralisa os tratos culturais, aumenta a chance de erosão, mas aumenta o nível dos reservatórios para irrigação. Além dos três Estados, a chuva forte também alcançará o norte de Goiás e de Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Piauí, Pará e Rondônia, paralisando as atividades de campo e aumentando a chance de desenvolvimento de doenças.

Por outro lado, o tempo permanecerá seco e com grande amplitude térmica justamente na área que mais precisa de chuva. As perdas aumentam nas áreas já afetadas pela estiagem e começam a aparecer em áreas que até então tinha umidade do solo elevada.

Como planejar uma safra e monitorar sua fazenda?

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra. 

O Agroclima Pro é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações. 

Faça parte da maior comunidade AGRO! O canal oficial da Climatempo no Telegram fornece conteúdos diários e exclusivos sobre o Clima e previsão para a agricultura. Quero fazer parte! 

Climatempo
Publicidade
Publicidade