0

Chuva retorna as áreas produtoras do Sul do BR

Produtor está com dificuldade em realizar pulverizações nas lavouras

15 dez 2017
12h44
  • separator
  • comentários

A chuva não dá trégua aos produtores do Mato Grosso, Goiás, Rondônia e em grande parte do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia, pois desde o começo da semana chuvas intermitentes são registradas sobre toda a metade norte do Brasil. A chuva impossibilita que os produtores realizem os devidos tratos culturais, em especial as pulverizações contra doenças dentro dos campos.

A sexta-feira (15) não será diferente, uma vez que áreas de instabilidade estão atuando sobre essas localidades e mantem o tempo fechado e com chuva a qualquer hora do dia . Além disso, o tempo fechado e chuvoso deverá persistir sobre a metade norte do Brasil até terça-feira (19/12) . Após essa data as chuvas continuarão a ocorrer, porém apenas na forma de pancadas, principalmente à tarde e noite o que irá possibilitar a realização todos os devidos tratos culturais em suas lavouras, bem como dar início ao plantio do algodão , que hoje se encontra paralisado.

Alguns institutos de meteorologia estão alertando para uma possível estiagem sobre as áreas produtoras do norte de Minas Gerais e em grande parte do MAPITOBA ao longo dessa 2ª quinzena de dezembro. A Climatempo discorda. Segundo os modelos de previsão, os volumes de chuvas serão realmente menores nesse período, porém, não haverá uma total ausência de chuvas, apenas voltarão a ocorrer às famosas pancadas de chuvas irregulares, já que durante os próximos dias, os corredores de umidade estarão voltados para a metade sul do País, incluindo a Argentina, Paraguai e Uruguai.

Assim, as áreas de instabilidade observadas sobre o norte do Brasil, estarão bem mais fracas do que as observadas nessa 1ª quinzena do mês, mas nada que venha comprometer o pleno desenvolvimento das lavouras. Até porque, se observarmos os mapas de previsão de chuva, segundo o modelo Europeu (ECMWF), há previsão de chuva para toda faixa nordeste do Brasil nos próximos 15 dias, porém com volumes menores do que vinha sendo observado.

A grande notícia de hoje é sem dúvida nenhuma, o retorno da chuva as regiões produtoras do Sul do país, incluindo a região sul do Mato Grosso do Sul e São Paulo. Ontem, quinta-feira (14), áreas de instabilidade já ocasionaram chuvas boas sobre a faixa oeste do Rio Grande do Sul, aliviando muito a apreensão dos produtores e, sobretudo, elevando os níveis de umidade do solo, garantindo assim, melhores condições ao desenvolvimento das lavouras.

Para essa sexta-feira, toda a região Sul voltará a ter tempo aberto e com possibilidades apenas para eventuais pancadas de chuvas muito isoladas. Entretanto, a partir de domingo (17/12), a passagem de uma frente fria pela região irá mudar completamente o tempo, pois há previsão de chuva generalizada e até mesmo em bons volumes sobre todas as localidades produtoras do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

A chuva irá proporcionar a elevação dos níveis de umidade do solo , garantindo melhores condições ao desenvolvimento das lavouras. O tempo mais chuvoso deverá persistir ao longo de toda a semana que vem o que irá contribuir para uma total recuperação das lavouras, que hoje estão sob estresse hídrico.

Soja na Argentina

Há previsão de chuva também para as áreas produtoras da Argentina e do Paraguai. E, essas chuvas irão elevar os níveis de umidade do solo, garantindo excelentes condições tanto ao desenvolvimento das lavouras quanto a finalização do plantio da soja na Argentina. E como há previsões de que a 2ª quinzena de dezembro venha a ser marcada por chuvas mais regulares, a tendência é que as condições meteorológicas se mantenham favoráveis ao desenvolvimento das lavouras.

Leia no Blog do Agroclimapro outras informações e análises sobre as culturas

Para saber maiores informações de como se planejar com antecedência e tornar o clima seu grande aliado basta consultar www.agroclimapro.com.br

Veja como a informação meteorológica pode ajudar a tomar a decisão dentro do campo:

Climatempo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade