PUBLICIDADE

Benefícios de iniciativas baixo carbono para o planeta

Incentivo a projetos que reduzem emissões de gases de efeito estufa é alternativa para melhorar economia e qualidade de vida.

27 jan 2022 00h27
ver comentários
Publicidade

por Larissa Magalhães (O Mundo Que Queremos)

Nas últimas décadas, a comunidade global tem intensificado os diálogos em torno da corrida para mitigar as mudanças climáticas atualmente em curso. Desastres naturais cada vez mais frequentes e eventos climáticos extremos têm endossado a discussão sobre quais são as alternativas para superar o impacto da ação humana no planeta.

Especialistas são unânimes ao defender novos modelos de desenvolvimento e iniciativas que apresentem soluções "fora da caixa" para resolver o problema. O fomento a projetos e organizações que, além de contribuir com a redução das emissões dos gases de efeito estufa na atmosfera, ainda ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas e promovem ganhos econômicos é uma peça chave.

No Brasil, um exemplo de como fazer isso é a atuação do portfólio de Economia de Baixo Carbono, do Instituto Clima e Sociedade (iCS), uma organização filantrópica que estabelece pontes entre financiadores internacionais e nacionais e parceiros locais dedicados a construir soluções para a crise climática global. Este braço do iCS tem o objetivo de garantir que o setor privado e o sistema financeiro acelerem a transição para uma economia de carbono zero. Para isso, mobiliza e repassa recursos, estabelece diálogos, encontros, oportunidades e treinamentos a diversas organizações e projetos. 

Entre as iniciativas apoiadas estão a Sitawi - Finanças do Bem, que capacita os investidores brasileiros e os motiva a se comprometerem em ampliar seu leque de investimentos de modo a abranger iniciativas e fundos verdes, ou seja, que tenham impacto socioambiental positivo.

Outra iniciativa é o Idesam, organização que busca soluções criativas para os desafios sociais e ambientais que impactam, principalmente, os povos mais vulneráveis da floresta. Recentemente, o Idesam estruturou a primeira aceleradora de impacto da Amazônia Legal brasileira, a AMAZ, uma entidade que incentiva administrativa e financeiramente negócios de impacto que valorizam a conservação da floresta e dos modos de vida amazônicos.

Conforme explicou o coordenador do portfólio de Economia de Baixo Carbono, Gustavo Pinheiro, o carbono está em tudo: em nós, na nossa composição química, no ar, em quase todos os materiais.

"O que queremos evitar é a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera. O carbono virou a unidade que usamos para medir quanto os países, empresas, estão emitindo. O acúmulo desses gases piora o efeito estufa. Por isso falamos de economia de baixo carbono, esta economia na qual precisaremos transformar nossas matrizes econômicas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e tentar manter a estabilidade climática, aquele clima que permitiu que a sociedade evoluísse e se desenvolvesse", finalizou.

Benefícios das iniciativas de baixo carbono

Conheça 3 dos diversos benefícios das chamadas "iniciativas de baixo carbono" para o planeta:

  • Têm capacidade para redirecionar investimentos e, assim, descarbonizar a economia, fazendo com que os diversos setores reduzam ou compensem suas emissões de gases do efeito estufa.
  • Projetos e organizações que consideram o meio ambiente em suas atividades ajudam a fomentar a economia baseada no potencial natural brasileiro. É progresso aliado à conservação!
  • Têm potencial para não só ajudar a mitigar as mudanças climáticas, como também promover melhorias na qualidade de vida das pessoas. Um planeta mais preservado é garantia de mais segurança, tranquilidade, expectativa de vida, entre outros ganhos para toda a sociedade.
Foto: Climatempo
Climatempo
Publicidade
Publicidade