PUBLICIDADE

Ar seco aumenta o risco para queimadas no interior do Brasil

A falta de chuva dos últimos dias tem deixando a umidade do ar e do solo baixas no interior de São Paulo, de Mato Grosso do Sul, de Minas e de Goiás. Confira!

18 mai 2021 12h58
ver comentários
Publicidade

Depois de uma primavera com péssimas condições de chuva, calor histórico espalhado pelo interior do Brasil e um verão com pancadas também muito irregulares, especialmente entre o Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, o período de estiagem começa com um enorme déficit hídrico no interior do país.

Nos últimos dias, a chuva tem sido bem irregular, com as frentes frias desviando para o oceano e poucas instabilidades capazes de formar nuvens carregadas. Com isso, o ar seco ganha cada vez mais intensidade, o que aumenta a quantidade de problemas respiratórios na população, além de reforçar o risco de queimadas, um cenário que começa a preocupar cada vez mais, já que é nesta época de seca que ocorrem os maiores incêndios florestais.

  

Foto: Climatempo

Estiagem agrícola

A estiagem agrícola é a falta de chuva com volume maior que 10mm, ou seja, uma chuva significativa que ajudaria a aumentar os índices de água no solo. Por esse mapa, é possível notar que grande parte do Brasil central não recebe chuva significativa há quase 2 meses. Em algumas regiões mais críticas, como é o caso do oeste de São Paulo, leste de Mato Grosso do Sul e interior de Minas, já são mais de 70 dias sem uma quantidade de água mais expressiva.

Com o solo seco, a baixa umidade do ar e as altas temperaturas, o risco para queimadas aumenta proporcionalmente.

Foto: Climatempo

Atualmente, o pior cenário é a região com menor quantidade de água disponível no solo, ou seja, centro-oeste e norte paulista, Triângulo Mineiro, sul de Goiás, de Mato Grosso do Sul, norte do Paraná e todo o estado de Mato Grosso do Sul, onde os índices estão abaixo de 20%.

Ar seco ainda predomina nos próximos dias

Como é típico desta época do ano, a chuva vai se concentrar nos extremos do país, e essa situação de tempo seco não deve mudar na maior parte da região central. Entre os dias 19 e 23 de maio a chuva continua no Norte e até pode chover de maneira isolada nos estados do Sul e em Mato Grosso do Sul, mas que no geral, os acumulados nem alcançam os 10mm neste período. Todo o interior do país segue com pouca ou nenhuma chuva.

Foto: Climatempo

Com isso, o risco para queimadas aumenta nos próximos dias. A situação é de alerta em todo o Centro-Oeste, boa parte do Sudeste e no interior do Nordeste.

Foto: Climatempo

Focos de queimada continuam aumentando

Do início do ano até o dia 18 de maio de 2021, segundo dados do monitoramento do INPE- Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Brasil já registrou um total de 11.420 focos de queimada. O estado com o maior número de incêndios é Mato Grosso, com 2.664.

No ano passado ocorreram incêndios históricos no Pantanal, e desta vez, o bioma que chama a atenção é a Caatinga, que já registra 148% de aumento com relação ao mesmo período de 2021.

Período seco está só no começo

Como o período de estiagem no Brasil central está só começando, alguns cuidados são necessários para evitar novos focos de incêndio. Segundo a Defesa Civil de São Paulo, é recomendável que não se faça queimada para limpeza de terreno, ou para destruição de lixo, optando sempre pelo descarte em local indicado. É importante não jogar cigarros ou fósforos acesos às margens das rodovias. A soltura de balões, além de ser crime, pode provocar acidentes aéreos e incêndios. Ao avistar fumaça suspeita ou foco de incêndio em mata, informe imediatamente ao Corpo de Bombeiros (193).

Climatempo
Publicidade
Publicidade