0

Alto risco de deslizamento na Grande Florianópolis

Baixa pressão atmosférica no litoral de SC e do PR mantém a chuva persistente por mais 48h. Chuva de 1 mês caiu em 24 horas.

11 jan 2018
11h59
atualizado às 12h11
  • separator
  • comentários

O elevado volume de chuva que caiu sobre o Grande Florianópolis nas últimas 24 horas deixou toda a região com alto risco para a deslizamento de terra . Em grande para da região, tanto para marítima como na porção continental choveu mais de 100 mm. Em alguns locais, o acumulado de chuva em 24 horas, entre o meio da manhã do dia 10 e o meio da manhã desta quinta-feira, 11 de janeiro, superou os 200 mm, pela medição do Epagri-Ciram, órgão de monitoramento ambiental, meteorológico e agrícola do governo de Sana Catarina.

Confira quanto choveu no período entre 9 horas do dia 10 e 9 horas de 11 de janeiro de 2018, segundo o Epagri-Ciram*.

- Carijós (setor norte da ilha): 280 mm

- Santo Antônio de Lisboa (norte): 220 mm

- Florianópolis ( insular - ETE - centro da ilha): 182 mm

- Florianópolis (automática - centro da ilha): 201 mm

- ETA Casan - lagoa do Peri (sul da ilha): 73 mm

- São José (continente): 138 mm

- Palhoça (ETA Casan montante): 136 mm

- Santo Amaro da Imperatriz: 115 mm

- Antonio Carlos: 135 mm

Num outro ponto de medição, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 144,9 mm entre 10h do dia 10 e 10h do dia 11 de janeiro, o que corresponde a quase toda a média de chuva para janeiro que é de 163 mm.  Foi como se chuva de 1 mês tivesse caído em 24 horas. Foi a maior chuva em 24h desde 24 de julho de 2015 quando choveu 146,2 mm entre dias 23 e 24 de julho. .

Alerta persiste por mais 48 horas

O grande volume de chuva acumulado sobre Florianópolis está associado a uma combinação especial da circulação de ventos, em diversos níveis da atmosfera, que começou a se configurar na tarde da terça-feira, 9 de janeiro de 2018. Entenda a situação meteorológica.

Por enquanto, a situação atmosférica não muda muito. Os ventos vão continuar concentrando muita umidade e calor no litoral catarinense e também do Paraná mantendo as nuvens de chuva.

Uma área de baixa pressão atmosférica no mar, perto do litoral destes estados, é um dos principais fatores para este acúmulo de umidade e de chuva . Este sistema só vai se afastar do litoral da Região Sul durante o domingo. Assim, até a manhã ou tarde do sábado, ainda teremos uma condição para chuva frequente, a qualquer hora do dia. Mas no sábado, a chuva já não deve ser tão volumosa. De qualquer forma, na situação atual, toda da chuva que cair no decorrer desta quinta-feira, na sexta e no sábado vai aumentar o risco de deslizamento de terra .

A população deve ficar muito atenta para qualquer movimentação de terra e respeitar as orientações da defesa civil.

Foto: Climatempo
Climatempo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade