0

Madri restringe circulação de veículos pela 1ª vez para combater poluição

29 dez 2016
11h24
  • separator
  • comentários

A cidade de Madri viveu nesta quinta-feira uma restrição do trânsito de veículos devido aos altos níveis de poluição na cidade, em uma medida inédita na Espanha e que só será aplicada hoje, por enquanto.

A prefeitura da capital espanhola determinou ontem essa restrição que afetou hoje todos os veículos motorizados com placas pares, que não puderam ter acesso à cidade, salvo em casos excepcionais.

A própria prefeitura decidiu hoje suspender essas restrições, pelo menos para sexta-feira e sábado, já que o nível de alerta dominuiu, mas seguirá limitando, como já ocorre há alguns dias, o estacionamento no centro da cidade para os não residentes nessas áreas.

Embora a nova regra de hoje prever muitas exceções, trata-se de uma medida que gerou muitas incertezas entre os moradores da cidade que, em geral muito, são muito apegados ao uso de automóveis particulares para transitar sem limites.

A restrição ocorreu no meio do período das festas natalinas, quando a população recorre ao uso de veículos particulares para realizar compras, e na véspera do início de um fim de semana prévio ao fim de ano, no qual ocorrem milhões de deslocamentos com origem ou destino em Madri.

Isso provocou muitas queixas entre alguns setores do comércio da capital espanhola, que consideram que a medida não encoraja os cidadãos a comprar em uma das semanas de maior consumo no país.

Desde as 6h30 locais (3h30 de Brasília), só os carros com placas ímpares (porque o dia de hoje, 29, é ímpar) podiam transitar pelo centro da cidade; isto é, a região rodeada pela chamada "M-30", um eixo rodoviário que facilita as entradas, saídas e o trânsito no interior de Madri.

No entanto, as restrições não afetaram os automóveis com pelo menos três passageiros, ônibus, táxis, motocicletas, serviços essenciais e veículos comerciais, que não são poluentes (elétricos, híbridos), e que estão habilitados para pessoas com algum tipo de incapacidade.

Junto à restrição referente ao número da placa - que já é comum em grandes cidades como Paris, Roma e São Paulo - também foi implementada a redução de velocidade nas vias de acesso a Madri, onde não se pode circular a mais de 70 km/h, e o estacionamento no centro da cidade está proibido para os não residentes.

Esta medida, histórica em uma cidade como Madri, foi tomada devido a um anticiclone, que não é comum nesta época, e que contribuiu para aumentar os níveis de óxido de nitrogênio para limites considerados perigosos para a saúde dos cidadãos, segundo as autoridades municipais.

Fontes da prefeitura da capital espannhola informaram à Agência Efe que o transporte funcionou com absoluta normalidade nas primeiras horas da manhã e que a polícia municipal tinha começado a multar os que descumpriram a nova legislação.

A decisão foi tomada pelo governo municipal, que é liderado pela coalizão esquerdista "Agora Madri", e faz parte das medidas que este grupo vem aplicando desde que chegou ao governo - há mais de um ano e meio - para melhorar a mobilidade na cidade, que tem quase 4 milhões de habitantes, favorecendo o uso do transporte público para reduzir a poluição.

A prefeita Manuela Carmena também ordenou, de maneira inédita durante o Natal, o fechamento parcial do trânsito de uma das principais artérias do centro de Madri, a Grande Via, uma decisão controversa que, segundo a prefeitura, poderia culminar com a transformação definitiva desta rua em uma área exclusiva para pedestres.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade