PUBLICIDADE

SP aplica 4ª dose para quem tem mais de 40 a partir de segunda

Segundo a Secretaria de Saúde, há 5 milhões de pessoas dessa faixa etária aptas a receber o imunizante, após pelo menos quatro meses da aplicação anterior

26 jun 2022 - 05h10
(atualizado às 08h07)
Ver comentários
Publicidade
Funcionário da área da saúde extrai uma dose da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca fabricada pelo Serum Institute, da Índia, no Hospital de Doenças Infecciosas em Colombo, Sri Lanka, 29 de janeiro de 2021. REUTERS/Dinuka Liyanawatte
Funcionário da área da saúde extrai uma dose da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca fabricada pelo Serum Institute, da Índia, no Hospital de Doenças Infecciosas em Colombo, Sri Lanka, 29 de janeiro de 2021. REUTERS/Dinuka Liyanawatte
Foto: Reuters

A partir de segunda-feira, 27, o Estado de São Paulo aplicará a quarta dose da vacina contra a covid-19 em pessoas a partir de 40 anos. Segundo a Secretaria de Saúde, há 5 milhões de pessoas dessa faixa etária aptas a receber o imunizante, após pelo menos quatro meses da aplicação anterior.

A aplicação de doses de reforço faz frente a estudos que demonstram que, ao longo do tempo, os níveis de anticorpos neutralizantes caem. Atualmente, o País vive nova alta de casos de covid puxada pelas sublinhagens BA.4 e BA.5 da Ômicron.

A expectativa é de que a segunda dose de reforço tenha ainda menos reações. Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, destaca que doses subsequentes, na maioria das vezes, "são menos reatogênicas". "Você já foi apresentado àquele antígeno."

Os efeitos previstos são destacados em bula. Para a Pfizer, por exemplo, reações muito comuns (ocorrem em 10% dos pacientes) são dor de cabeça, diarreia, dor nas articulações, dor muscular, dor e inchaço no local de injeção, cansaço, calafrios e febre.

Estadão
Publicidade
Publicidade