5 eventos ao vivo

Jovem de 15 anos cria teste que detecta três tipos de câncer em cinco minutos

Jack Andraka planeja iniciar testes clínicos com o sensor e colocá-lo no mercado em dez anos; prêmio de US$ 75 mil será usado para as pesquisas

22 out 2013
13h03
atualizado às 13h23
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p><span class="legenda_foto">Jack Andraka já se apresentou no TED: o</span> custo do teste desenvolvido por ele é de US$ 0,03 e o resultado chega em menos de cinco minutos</p><p> </p>
Jack Andraka já se apresentou no TED: o custo do teste desenvolvido por ele é de US$ 0,03 e o resultado chega em menos de cinco minutos
Foto: Eco Desenvolvimento

Aqueles que acreditam que os jovens não têm condições de ensinar nada aos mais velhos vão se surpreender com o norte-americano Jack Andraka, 15 anos, responsável pela invenção de um detector de câncer. O sensor, que é feito de papel, identifica três tipo de câncer (de pâncreas, ovário e pulmão).

Vídeo: um teste promissor para detecção de câncer... criado por um adolescente

Primeiramente, Andraka se debruçou sobre o câncer pancreático. O motivo? Um amigo de seu irmão morreu por causa da doença. "Fiquei interessado pela descoberta precoce, fiz uma tonelada de investigações e tive essa ideia", afirmou o jovem, durante a sua apresentação na Feira Internacional de Ciência e Engenharia da Intel.

O método, que lhe rendeu o primeiro lugar no prêmio da Intel, descobre o câncer de pâncreas de forma até 168 vezes mais rápida que os aparelhos usados atualmente. Além disso, fornece resultados 90% mais precisos, 400 vezes mais sensíveis e 26 mil vezes mais baratos do que os métodos atuais. O custo é de três centavos de dólar e o resultado chega em menos de cinco minutos.

O sensor criado pelo adolescente pode testar urina ou sangue e, se o resultado for positivo para a proteína mesotelina, indica que o paciente tem câncer no pâncreas. A tira de papel utilizada, muda conforme a quantidade da proteína no sangue e isso pode, de acordo com Andraka, detectar o câncer antes mesmo dele se tornar invasivo.

Seu prêmio de US$ 75 mil será usado para as pesquisas. Andraka pretende estudar para se tornar um patologista. Enquanto isso, ele planeja iniciar testes clínicos com o sensor e colocá-lo no mercado em dez anos.

Poluição e câncer de pulmão
Por falar em câncer, recentemente, a Agência Internacional da Organização Mundial da Saúde para Pesquisa sobre o Câncer (Iarc) anunciou oficialmente, pela primeira vez, que a poluição do ar é uma substância cancerígena - assim como o amianto, o fumo do tabaco e a radiação ultravioleta.

A professora de bioestatística da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, Francesca Dominici, alerta: "Você pode optar por não beber ou não fumar, mas você não pode controlar se você está ou não exposto à poluição do ar. Você não pode simplesmente decidir não respirar".

As fontes de poluição do ar estão por toda parte, inclusive em veículos movidos a combustíveis fósseis, usinas de energia e emissões industriais e agrícolas. O ar é composto por gases e partículas que apresentam um grande risco ao respirar, pois a poeira é depositada nos pulmões, possibilitando a reprodução acelerada e indevida de algumas proteínas que aumentam as chances de câncer.

&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/noticias/ciencia/infograficos/curas-do-cancer/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot; href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/noticias/ciencia/infograficos/curas-do-cancer/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;Em busca da cura do c&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;acirc;ncer&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;

Veja também:

Como era ser uma criança negra na Alemanha pós-guerra
Fonte: Eco Desenvolvimento Eco Desenvolvimento
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade