PUBLICIDADE

Marcos Pontes faz críticas ao corte no orçamento da Ciência

A pedido da área econômica do governo, pesquisa científica nacional sofreu perda de R$ 600 milhões

10 out 2021 20h12
| atualizado às 20h25
ver comentários
Publicidade

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, usou uma rede social na tarde deste domingo, 10, para criticar a ação do Ministério da Economia de pedir o remanejamento de R$ 600 milhões que estavam previstos para financiamento de pesquisas científicas no País.

"Falta de consideração. Os cortes de recursos sobre o pequeno orçamento de Ciência do Brasil são equivocados e ilógicos. Ainda mais quando são feitos sem ouvir a Comunidade Científica e Setor Produtivo. Isso precisa ser corrigido urgentemente", escreveu o ministro, por meio de sua conta no Twitter.

Marcos Pontes ao lado do presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de posse
01/01/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino
Marcos Pontes ao lado do presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de posse 01/01/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

A publicação não foi vista com bons olhos por apoiadores de Bolsonaro, que criticaram Pontes. Por outro lado, houve quem concordasse com o ministro e registrasse comentários contrários ao corte e à gestão de Jair Bolsonaro.

Nesta semana, o Ministério da Economia diminuiu em 87% o orçamento para o setor de ciência e tecnologia no Brasil, com queda de R$ 600 milhões para uso ainda este ano. O recurso estava previsto em um Projeto de Lei do Congresso Nacional enviado pelo governo, que abria crédito suplementar.

Em um documento assinado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e enviado à Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso, o governo repartiu os recursos que seriam exclusivos para a ciência entre outros seis ministérios. Entidades que representam a área reagiram à medida, por meio de nota, pedindo a revisão do corte.

/COLABORARAM EDUARDO RODRIGUES, ROBERTA JANSEN E ÍTALO LO RE

Estadão
Publicidade
Publicidade