PUBLICIDADE

Eta Aquáridas: veja o melhor horário e local para observar a chuva de meteoros

Pico maior aconteceu nesta madrugada de quinta-feira, mas, segundo especialista, o fenômeno ainda poderá ser contemplado nas próximas noites

6 mai 2021 12h52
| atualizado às 14h17
ver comentários
Publicidade

SÃO PAULO - Neste ano, a chuva de meteoros Eta Aquáridas - que ocorre anualmente entre 21 de abril e 12 de maio - tem sua máxima visibilidade nesta semana. O pico aconteceu nesta madrugada de quinta-feira, 6. No entanto, o fenômeno ainda poderá ser contemplado no céu brasileiro e outros países do hemisfério sul nas próximas noites.

Como acontece o fenômeno?

Segundo a Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon), esta é a primeira das duas chuvas de meteoros causadas pelos detritos do Cometa Halley. "Em passagens anteriores pelo Sistema Solar interior, o Halley deixou uma trilha de poeira e detritos, e a Terra atravessa essa trilha duas vezes ao ano. A segunda chuva é a Oriónidas, que acontece em outubro. A Eta Aquáridas acontece agora e produz uma quantidade maior de meteoros em comparação com a Oriónidas", destacou a entidade.

Em média, podem ser produzidos 50 meteoros por hora, porém este ano a Lua vai estar em fase minguante e exatamente na Constelação de Aquarius, ligeiramente a direita de onde está o radiante da Eta Aquáridas, e o número deve ser um pouco menor.

Qual o melhor local para ver a chuva de meteoros?

Paulo Sergio Bretones, professor do Departamento de Metodologia de Ensino da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), afirma que praticamente o mundo todo poderá observar, mas o Brasil e países do hemisfério sul terão a melhor visibilidade.

"Como a constelação fica perto (da linha) do Equador. Então é visível no mundo todo. Ou seja, quanto mais próximo da linha do Equador, mais meteoros serão vistos", diz. Segundo a Bramon, pessoas no Norte e Nordeste do País, em condições ideais, poderão observar até 40 meteoros por hora.

Qual o melhor horário para ver a chuva de meteoros?

A visibilidade é maior a partir das três da manhã. "O pico maior aconteceu na madrugada desta quinta-feira, mas o fenômeno também será visível no céu nas próximas noites", afirma Bretones. Ainda segundo ele, a pessoa deve observar a região leste, do nascente do Sol: "A visibilidade é ainda melhor em local com menos poluição luminosa. Nas próximas noites, observe o céu entre 3h da manhã e o nascer do sol".

Como podemos ver?

Mesmo diante da pandemia, o especialista avalia que este é um dos momentos para as pessoas, em especial as crianças, contemplarem o que acontece no céu. Não é necessário nenhum equipamento específico, basta olhar para o céu. "É importante que, mesmo na pandemia, as pessoas parem um pouco para ver o céu. Seja uma estrela cadente ou chuva de meteoros. Temos tecnologia, pois muitos mapas celestes estão disponíveis em softwares gratuitos como o Stellarium, o site Heavens-above ou aplicativos SkyMap e Star Chart. Mas poder observar o que acontece no céu é algo fantástico", aconselha.

Estadão
Publicidade
Publicidade