PUBLICIDADE

Turista espacial Dennis Tito quer lançar missão humana a Marte

27 fev 2013 21h04
| atualizado às 21h38
ver comentários
Publicidade

O primeiro turista espacial da História, o multimilionário americano Dennis Tito, revelou nesta quarta-feira o projeto de uma missão tripulada que pretende lançar a Marte em 2018. O empresário não informou o custo do projeto, que será financiado com contribuições de particulares. Segundo o presidente da empresa privada Mars Society, Robert Zubrin, uma missão assim seria realizável com "um ou dois bilhões de dólares".

"Este périplo histórico de 501 dias (ida e volta), com um sobrevoo do planeta vermelho a menos de 160 quilômetros de altitude, é possível graças a um estranho alinhamento planetário que ocorre a cada cinco anos" e posiciona a Terra e Marte a uma distância menor, disse Tito, 72 anos, em coletiva de imprensa.

Um grupo de aventureiros convocado por Tito criou uma fundação batizada "Inspiração Marte", que prevê recrutar duas pessoas, um homem e uma mulher de meia idade, para realizar a missão "como cidadãos privados", afirmou Tito. O lançamento está previsto, a princípio, para 5 de janeiro de 2018.

A agência espacial americana (a Nasa) tem como meta o ano de 2030 em suas vagas projeções para enviar uma missão tripulada a Marte e no curto prazo se concentra no envio de robôs, como o veículo Curiosity, que pousou no verão (boreal) no planeta vermelho, atraindo grande atenção da mídia.

"A exploração humana do espaço é um catalisador essencial para o crescimento e a prosperidade futura dos Estados Unidos", afirmou o multimilionário. "Trata-se de uma missão para os Estados Unidos, que vai gerar conhecimento, experiência e impulso para a nova grande era da exploração espacial (...), que inspirará a próxima geração de exploradores", acrescentou.

O sistema utilizado consistirá em uma cápsula modificada, propulsionada fora da órbita terrestre com uma única manobra para se posicionar na trajetória de Marte e um módulo tripulável inflável que será desfraldado após o lançamento. A missão usará a tecnologia existente e transporte espacial testado, derivado do setor aeroespacial privado, da Nasa e da Estação Espacial Internacional (ISS).

"Com o apoio da Nasa e de uma equipe de parceiros industriais, tentamos fazer tudo o que for possível para aproveitar esta chance para os Estados Unidos", avaliou Tito, que quer utilizar "a contribuição dos melhores cérebros do setor privado, do governo e do mundo universitário (...) para esta missão de baixo custo. Tito foi o primeiro civil a visitar o espaço em 2011, ao comprar uma vaga em um foguete russo Soyuz para passar uma semana na ISS.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade
Publicidade