1 evento ao vivo

SP: ônibus terão 60% a 70% da frota; rodízio segue suspenso

CET não deverá aplicar multas em caso de pane seca; Metrô e CPTM também estenderam operação por causa da greve dos caminhoneiros

28 mai 2018
20h28
atualizado às 20h29
  • separator
  • comentários

Ônibus de São Paulo circularão nesta terça-feira, 29, com 60% a 70% da frota, segundo informou a Prefeitura nesta segunda. A administração municipal disse que há 14 postos com combustível disponível exclusivamente para abastecer os serviços públicos. A greve dos caminhoneiros chegou hoje ao 8º dia consecutivo e provoca problemas de abastecimento em várias cidades do País.

Trânsito nesta segunda ficou abaixo da média na capital paulista
Trânsito nesta segunda ficou abaixo da média na capital paulista
Foto: Hélvio Romero/Estadão / Estadão

Segundo a Prefeitura, um comitê de gerenciamento de crise obteve cerca de 1,5 milhão de litros de combustível. Caminhões para abastecer a frota municipal estão sendo escoltados por equipes da Polícia Militar e da Guarda Civil Metropolitana.

As operações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), do Serviço Funerário Municipal, da Defesa Civil, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Assistência Social e da Guarda Civil Metropolitana (GCM) estão normalizados, segundo a Prefeitura. Os postos também foram liberados para abastecimento da Eletropaulo e da Comgás, que tinham combustível para rodar apenas nesta segunda-feira.

Ônibus e Metrô

No início da segunda-feira, as empresas de ônibus circularam com 67% da frota programada. Já no período da tarde, a partir das 16h30, as empresas mantiveram 63% da frota prevista circulando.

Nesta terça-feira, entre 60% e 70% da frota de ônibus da capital deverá operar. O rodízio de veículos continua suspenso e agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não poderão aplicar multas em caso de pane seca.

O Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos funcionarão em horário estendido entre terça e quarta-feira. A operação ocorrerá das 4 horas à 1 hora da madrugada.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade