0

Motorista do Uber é esfaqueado em briga com taxistas em BH

30 ago 2016
17h16
atualizado às 18h01
  • separator
  • comentários

Dois taxistas foram detidos suspeitos de esfaquear um motorista do aplicativo Uber na noite desta segunda-feira. O caso aconteceu em Belo Horizonte numa avenida movimentada e próximo a um shopping da capital mineira. Por causa da agressão, colegas da vítima e motoristas do aplicativo fizeram uma carreata em protesto contra a violência sofrida.

Foto: Reprodução

Rodrigo Henrique Fraga Mantovani, de 24 anos, foi socorrido, levado a um hospital e não corre risco de morte. Ele explicou que o caso aconteceu enquanto deixava um passageiro no Minas Shopping, região Nordeste de Belo Horizonte. Rodrigo chegou a fugir de um primeiro ataque na Avenida Cristiano Machado mas, mesmo depois de ligar para a polícia, sofreu mais uma investida de um grupo de taxistas e um deles esfaqueou seu braço. 

Dois agressores teriam sido identificados pela vítima, segundo o capitão da Polícia Militar Luciano Barbosa.

Ainda durante a noite dois suspeitos foram levados detidos para uma delegacia da capital mineira. Eles não tiveram a identidade divulgada pela polícia, mas caso seja confirmada a participação da dupla, devem responder pelo crime de tentativa de homicídio. Imagens de circuito interno de tv de estabelecimentos podem ajudar a polícia na investigação do caso.

Logo que a informação da prisão de dois suspeitos chegou ao conhecimento dos motoristas de Uber, uma aglomeração tomou a Rua Pouso Alegre onde está situada a Central de Flagrantes, no Bairro Floresta. Aproximadamente 300 pessoas foram até o local para pedir a punição dos envolvidos.   

Como forma de protesto, dezenas de motoristas do aplicativo fizeram uma carreata na manhã desta terça-feira pelas principais ruas e avenidas da cidade. A concentração ocorreu na Praça do Papa e seguiu pela Avenida Afonso Pena ocupando três faixas da via.

Há menos de um mês outro caso terminou com a prisão de um taxista que confundiu um carro oficial do gabinete militar do Governo do Estado com um carro dirigido por um motorista do aplicativo. Na ocasião, o taxista fez manobras bruscas provocando a colisão entre os dois veículos. Após uma perseguição e com a ajuda de outra patrulha da PM, o taxista foi preso e seu carro levado para o Departamento de Trânsito de Minas Gerais.

A exemplo do que já havia declarado neste caso, o presidente do Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários, Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais (Sincavir-MG),  Ricardo Faedda, lamentou o ocorrido e reiterou que não será com de violência que a categoria deve combater o que ele considera transporte clandestino.

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade