1 evento ao vivo

Política

Vai pra rua? Conheça 10 protestos inusitados pelo mundo

Arte Terra

Para entrar no clima e saber até onde algumas pessoas vão pelos seus propósitos, confira essa seleção excêntrica

13 mar 2015
17h55
atualizado às 17h56
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Sara Winter, ativista do movimento feminista Bastardxs, faz protesto a favor do aborto na Avenida Paulista, em São Paulo, SP, na manhã deste domingo. Um homem caracterizado de Eduardo Cunha chutava e agredia Sara como parte do protesto, que marca o Dia Internacional da Mulher</p>
Sara Winter, ativista do movimento feminista Bastardxs, faz protesto a favor do aborto na Avenida Paulista, em São Paulo, SP, na manhã deste domingo. Um homem caracterizado de Eduardo Cunha chutava e agredia Sara como parte do protesto, que marca o Dia Internacional da Mulher
Foto: Leonardo Benassatto / Futura Press

Como diz a máxima da democracia, todo o protesto é válido - seja em "varandas gourmet" ou na rua. Lutar por seus direitos e por melhorias no sistema político, na saúde, no ensino ou no meio ambiente é importante. Mas, em muitos casos, o protesto ganha notoriedade não necessariamente pelo que defende, mas sim pelos métodos usados na defesa.

Nesta sexta-feira (13) e neste domingo (15), muitos brasileiros planejam participar de atos políticos para criticar ou celebrar ações do governo nacional. Alguns até cogitam o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Para entrar no clima e saber até onde algumas pessoas já foram pelos seus propósitos, confira 10 protestos inusitados que aconteceram no mundo.

1. Uma vaca na manifestação

<p>Durante o ato, um dos manifestantes usou a teta de uma vaca como "arma" contra policiais </p>
Durante o ato, um dos manifestantes usou a teta de uma vaca como "arma" contra policiais
Foto: The Telegraph / Reprodução

Em outubro de 2009, mais de 2.500 agricultores lançaram leite, ovos e castanhas em quem entrasse na sede do Conselho Europeu, em Bruxelas, na Bélgica. O motivo do protesto? A crise do leite, que atingiu a União Europeia na época e que reduziu o preço do produto.

Durante o ato, um dos manifestantes usou a teta de uma vaca como "arma" contra os policiais que tentavam conter o protesto. Mais tarde, a vaca ficou assustada com barulhos de explosões e perseguiu um homem que andava na rua.

2. Egípcio corta o próprio pênis

<p>Egípcio cortou seu pênis em protesto contra a decisão dos pais</p>
Egípcio cortou seu pênis em protesto contra a decisão dos pais
Foto: iStock

Em maio de 2009, um jovem de 25 anos, morador da vila Sheikh Eissa, no norte do Egito, cortou o próprio pênis para prostestar a decisão de seus pais de casá-lo com uma mulher que ele não amava.

Apaixonado por outra, o egípcio tentou mudar a decisão dos pais, mas não conseguiu. Por conta disso, cortou seu pênis e testículos. O jovem foi hospitalizado, mas os médicos não conseguiram reimplantar o membro.

3. Tibetanos usam fogo para serem ouvidos

Tibetano ateia fogo ao corpo contra visita do presidente chinês
Tibetano ateia fogo ao corpo contra visita do presidente chinês
Foto: AFP

Em abril de 2013, dois monges tibetanos cometeram suicídio no sudoeste da China com atos de imolação com fogo para protestar contra o governo. Eles não foram os primeiros a fazer isso no país.

Mais de 110 tibetanos atearam fogo ao corpo desde 2009. A maioria morreu em consequência dos ferimentos. Em geral, os tibetanos que cometem atos de imolação o fazem porque acreditam que não há outra forma chamar atenção da China e do mundo para que suas demandas sejam levadas em conta. 

4. Ganchos nas costas por tubarões

A artista britânica Alice Newstead é suspensa por ganchos em protesto em frente a loja de produtos cosméticos em Paris
A artista britânica Alice Newstead é suspensa por ganchos em protesto em frente a loja de produtos cosméticos em Paris
Foto: AFP

A artista britânica Alice Newstead ficou suspensa por ganchos presos à pele em um protesto em frente a uma loja de produtos cosméticos em Paris, em julho de 2009. A manifestação teve o objetivo de criticar a "matança de tubarões" patrocinada pela indústria cosmética mundial.

A artista conta que - pintada e vestida com a cor prata - estava representando um tubarão. O ato chamou a atenção das pessoas que passavam pela região e da imprensa internacional.

5. Estudante muda de nome por uma causa

"Normalmente tenho de repetir meu nome muitas vezes quando me apresento para alguém", diz ela
"Normalmente tenho de repetir meu nome muitas vezes quando me apresento para alguém", diz ela
Foto: The Independent / Reprodução

Em outubro de 2008, uma americana de 19 anos mudou o nome para "Cutoutdissection.com". A jovem, que se chamava Jennifer Thornburg, registrou o novo nome - um site contrário à dissecação de animais - como forma de protestar contra a prática de dissecação de animais nas escolas.

"Normalmente tenho de repetir meu nome muitas vezes quando me apresento para alguém. Depois que as pessoas descobrem o significado, elas querem saber mais sobre o site", disse Cutoutdissection.com. A estudante de Asheville, na Carolina do Norte, disse que começou a fazer oposição aos processos de dissecação quando foi obrigada a cortar a asa de uma galinha durante uma aula.

6. Nu com a mão no bolso (mas paga a conta)

Alemão protestava contra o preço dos combustíveis
Alemão protestava contra o preço dos combustíveis
Foto: Facebook / Reprodução

Um homem que não teve e identidade revelada decidiu protestar de um jeito inusitado contra o alto preço do combustível na Alemanha. 

Para isso, em outubro de 2012, ele foi até um posto, saiu de seu carro vestindo apenas um par de sapatos pretos, abasteceu o carro, foi à loja de conveniências, onde fez uma compra, e foi embora.

7. O "homem protesto" que pregou testículos no chão (e costurou a boca)

<p>Ato contra a prisão de integrantes da banda punk feminina Pussy Riot</p>
Ato contra a prisão de integrantes da banda punk feminina Pussy Riot
Foto: Twitter

Se os protestos inusitados fossem representados em um nome, esse nome seria Petr Pavlensky. Esse artista russo já se envolveu em pelo menos quatro protestos que ganharam atenção da mídia internacional.

<p>Artista prega os testículos no chão</p>
Artista prega os testículos no chão
Foto: Twitter

Em 2012, Pavlensky costurou os lábios em protesto contra a prisão de integrantes da banda punk feminina Pussy Riot. Em maio de 2013, Pavlensky foi deixado em frente à Assembleia Legislativa de São Petersburgo, totalmente nu e enrolado em uma espécie de "casulo de arame farpado". Em novembro do mesmo ano, o artista sentou-se nu, na Praça Vermelha em Moscou, e martelou um prego que afixou seus testículos ao chão. 

<p>Protesto contra o uso político da psiquiatria</p>
Protesto contra o uso político da psiquiatria
Foto: Twitter

Em outubro de 2014, o artista subiu no muro da clínica Serbcky, em Moscou, e cortou o lóbulo de sua própria orelha, como forma de protestar contra o uso político da psiquiatria. 

8. Pais protestam vestidos de super-heróis

Vestidos de super-heróis, os dois subiram preparados com alimentos e colchões para passar quase uma semana protestando
Vestidos de super-heróis, os dois subiram preparados com alimentos e colchões para passar quase uma semana protestando
Foto: William Wintercross / Getty Images

Divorciados, Jolly Stanesby e Eddie Goreckwi subiram no teto do Tribunal de Justiça de Londres, na Inglaterra, para protestar contra as leis de custódia do país. Vestidos de super-heróis, os dois subiram preparados com alimentos e colchões para passar quase uma semana protestando. O discurso era de que os homens são heróis e merecem ficar com seus filhos tanto quanto as mulheres.

No mês seguinte, um outro homem escalou um guindaste de 35 metros para protestar contra um juiz que havia negado visitas a sua filha de três anos. Todos os homens faziam parte da organização “Fathers 4 Justice” (pais por justiça, em tradução livre), que - mais tarde - foi acusada de planejar um sequestro. 

9. Múmias são presas na Rússia

Vladmir Lenin, primeiro líder da União Soviética, foi embalsamado ao morrer, em janeiro de 1924. Imagem mostra o corpo em exposição em seu mausoléu na Praça Vermelha de Moscou em 16 de abril de 1997
Vladmir Lenin, primeiro líder da União Soviética, foi embalsamado ao morrer, em janeiro de 1924. Imagem mostra o corpo em exposição em seu mausoléu na Praça Vermelha de Moscou em 16 de abril de 1997
Foto: AP

Vinte e cinco manifestantes vestidos de múmias - enrolados com faixas dos pés à cabeça - organizaram um protesto em janeiro de 2009 em frente ao mausoléu do líder bolchevique Vladimir Lenin, cujo corpo, mumuficiado, está em exposição.

Os manifestantes pediam que Lenin fosse finalmente enterrado. No entanto, a polícia interrompeu o ato e levou todos à delegacia. O destino do corpo é uma questão controversa desde o fim da União Soviética.

10. Harrison Ford faz depilação pelo desmatamento

Ator aceitou depilar os cabelos do seu peito com cera quente
Ator aceitou depilar os cabelos do seu peito com cera quente
Foto: Ecorazzi / Divulgação

Em 2008, o ator Harrison Ford resolveu fazer um protesto contra o desmatamento mundial. Para isso, aceitou depilar os cabelos do seu peito com cera quente em uma clínica de estética de Los Angeles, nos Estados Unidos.

A depilação foi divulgada em vídeo, em um programa televisivo. Ao fim do processo estético, o ator que interpretou Indiana Jones diz que entendia a "dor do desmatamento".

Veja também:

Bolsonaro fala em 'cartão vermelho' para quem sugere congelar aposentadorias e enterra Renda Brasil
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade