0

PSDB apoiará Bolsonaro em projetos alinhados aos tucanos

O PSDB elegeu 29 deputados para a próxima legislatura.

5 dez 2018
18h34
atualizado às 19h12
  • separator
  • comentários

O PSDB irá apoiar o governo de Jair Bolsonaro em todos os projetos que forem também parte da agenda tucana, especialmente as reformas da Previdência e tributária, disse nesta quarta-feira o líder do partido na Câmara, Nilson Leitão (MT).

A bancada tucana foi a segunda a se reunir nesta tarde com o presidente eleito --que também teve um encontro com o PR-- para tratar da relação com o Congresso a partir de 2019.

O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, futuro Ministro da Casa Civil do governo Jair Bolsonaro (PSL), ao lado da deputada eleita, Joice Hasselmann (PSL-SP), reunido com integrantes da bancada do PSDB, na Câmara dos Deputados
O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, futuro Ministro da Casa Civil do governo Jair Bolsonaro (PSL), ao lado da deputada eleita, Joice Hasselmann (PSL-SP), reunido com integrantes da bancada do PSDB, na Câmara dos Deputados
Foto: Dida Sampaio / Estadão

"O governo Bolsonaro vai ter apoio para tudo que também for agenda tucana. Terá o apoio no Congresso e maior adesão será em relação às reformas", disse Leitão.

O líder do PSDB citou, além das reformas, também questões como mudanças no licenciamento ambiental --um projeto, extremamente criticado pelos ambientalistas, que está tramitando há algum tempo no Congresso e tem apoio de parte da bancada.

"Nossa defesa é que todo capital político que Bolsonaro terá nesse início seja investido nessas reformas."

O líder afirmou ainda que não haverá um "apoio institucional" ao governo e nem há a ideia de fechar questão em apoios, mas que cada deputado terá que votar de acordo com o que acredita.

O PSDB elegeu 29 deputados para a próxima legislatura.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade