2 eventos ao vivo

Mourão minimiza nova troca no comando da PF: "Faz parte"

"Muda o ministro ele traz gente que ele considera que é mais, vamos dizer assim, ligada ao modo dele pensar", disse

7 abr 2021
11h40
atualizado às 12h26
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta quarta-feira, 7, que a mudança no comando da Polícia Federal (PF), anunciada ontem, é algo "normal". Para ele, a mudança era esperada já que o governo tem um novo ministro da Justiça e Segurança Pública, o delegado da PF Anderson Torres. O vice-presidente opinou ainda que a chefia da PF tem um "caráter político".

Vice-presidente Hamilton Mourão em cerimônia no Palácio do Planalto
16/09/2020 REUTERS/Adriano Machado
Vice-presidente Hamilton Mourão em cerimônia no Palácio do Planalto 16/09/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Nesta terça-feira, no mesmo dia em que foi oficializado no governo, Torres escolheu o delegado Paulo Maiurino como novo diretor-geral da PF. Ele substituirá o atual chefe da corporação, Rolando Souza. O ministro também trocou o comando da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O novo diretor-geral da PRF será Silvinei Vasques.

"Faz parte, muda o ministro ele traz gente que ele considera que é mais, vamos dizer assim, ligada ao modo dele pensar. Normal isso, sem problema", disse Mourão na chegada à vice-presidência nesta manhã.

Mourão também comentou sobre as críticas em relação ao novo escolhido para o comando da Polícia Federal por já ter ocupado cargo político. Isso porque Maiurino trabalhou no governo de São Paulo como secretário de Esporte, Lazer e Juventude, na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB). "Essa função de diretor geral (da PF) tem um caráter político também, não vejo problema nisso", reforçou Mourão.

Veja também:

Carlos Pereira: o 'rouba, mas faz' existe
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade