0

Doria, Skaf e França não comparecem a debate na PUC

Governador desistiu em cima da hora por causa de uma rebelião em presídio

9 ago 2018
00h44
atualizado às 09h30
  • separator
  • comentários

Os três candidatos ao governo de São Paulo que lideram as pesquisas de intenção de voto nas eleições 2018 não comparecem ao debate organizado por entidades estudantis na noite desta quarta-feira, 8, no Tuca, Teatro da Pontifícia Universidade Católica (PUC), na zona oeste da capital paulista.

O ex-prefeito paulistano João Doria (PSDB) e o presidente licenciado da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf (MDB), que não haviam confirmado presença no evento, alegaram agenda no interior do Estado. O governador Márcio França (PSB) desistiu em cima da hora por causa de uma rebelião de presos no Centro de Detenção Provisória (CDP) do Tatuapé, na zona leste da cidade, na tarde desta quarta-feira (8).

Os três tiveram seus nomes vaiados por uma plateia de estudantes universitários que praticamente lotou o Teatro da PUC. Sem o trio, o debate contou com a participação dos outros cinco candidatos a governador: Luiz Marinho (PT), Lisete Arelaro (PSOL), Cláudio Fernando Aguiar (PMN), Marcelo Cândido (PDT) e Rogério Chequer (NOVO), que perdeu a hora e atrasou o início do evento. Os postulantes fizeram perguntas entre si e responderam a questões dos universitários sobre assuntos que foram da cobrança de mensalidade em universidades públicas à crise hídrica, transporte público e geração de emprego.

Segundo pesquisa CNT/MDA divulgada nesta quarta-feira, Doria e Skaf estão tecnicamente empatados na disputa ao Palácio dos Bandeirantes. O tucano tem 16%, 4% das intenções de voto contra 16,2% do emedebista. Em terceiro, vem o atual governador Márcio França (PSB) com 5%, tecnicamente empatado com o petista Luiz Marinho (4,8%). A margem de erro é de 2.2 pontos porcentuais.

O debate com candidatos a governador na PUC é o primeiro a ser realizado após a definição de todas as candidaturas nas convenções partidárias. Participaram da organização 13 entidades estudantis, como o centros e diretórios acadêmicos, por meio do movimento Universidade vai às Urnas.

Veja também

 

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade