0

Senado e TCU apurarão política de preços da Petrobras

A investigação será focada na política de preços adotada pela Petrobras a partir de outubro de 2016.

23 abr 2019
15h41
atualizado às 16h40
  • separator
  • comentários

A Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) do Senado aprovou nesta terça-feira, 23, a apuração, com o auxílio do Tribunal de Contas da União (TCU), da atual política de reajuste de combustíveis praticada pela Petrobras, sobretudo da gasolina, do diesel e do gás de cozinha. A comissão poderá realizar audiência pública antes de apresentar, discutir e votar o relatório final da proposta, informou a CTFC em seu site.

A investigação será focada na política de preços adotada pela Petrobras a partir de outubro de 2016, "que atrela os valores domésticos aos praticados no mercado internacional, promove insegurança e imprevisibilidade, sobretudo em um País cujo pilar central de mobilidade é o transporte rodoviário", afirma a proposta apresentada no ano passado pela hoje ex-senadora Vanessa Grazziotin. O reflexo mais nítido deste problema, segundo a ex-senadora, "foi a paralisação dos caminhoneiros, em maio de 2018, e os impactos dela decorrentes", afirma na justificativa da apuração.

Cúpula do Senado Federal é iluminada com a cor verde. Trata-se do Abril Verde, uma campanha de apoio ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente e Doenças de Trabalho. Celebrada em 28 de abril, a data foi instituída, em 2003, pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Cúpula do Senado Federal é iluminada com a cor verde. Trata-se do Abril Verde, uma campanha de apoio ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente e Doenças de Trabalho. Celebrada em 28 de abril, a data foi instituída, em 2003, pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Foto: Jonas Pereira / Agência Senado

Rodrigo Cunha (PSDB-AL), relator da matéria, afirmou em sua decisão que o "assunto é pertinente e diz respeito a todos os brasileiros". Entre as medidas, a comissão fará uma análise das competências dos administradores da Petrobras e do Poder Executivo para determinar a política de preços e uma avaliação quanto à eventual interferência do governo e a legalidade das ações com esse objetivo. "Também se dedicará à identificação de eventuais associações entre a política de preços e condutas ilícitas e à apuração de responsáveis por eventuais danos à estatal, antes e depois de outubro de 2016", explica a comissão em nota.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade