6 eventos ao vivo

Com confusão em posts, Bolsonaro relembra 2 anos da facada

Presidente sofreu atentado durante a campanha eleitoral de 2018, em Juiz de Fora

6 set 2020
11h38
atualizado às 12h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou sua conta no Twitter para relembrar os dois anos da facada sofrida durante a campanha eleitoral de 2018. Bolsonaro compartilhou o vídeo com o momento do atentado e fez agradecimentos pela sua recuperação.

Foto: Fábio Motta / Estadão Conteúdo

"OBRIGADO: Senhor pela minha vida. Dr. Borsato e profissionais de saúde da Santa Casa de Juiz de Fora/MG. Drs. Macedo e Leandro, médicos e enfermeiros do Hospital Albert Einstein; Aos que oraram; e ao Brasil por continuar livre e sendo a terra mais maravilhosa do mundo!", escreveu o presidente.

No dia 6 de abril de 2018, Bolsonaro foi atacado enquanto cumpria agenda eleitoral no município mineiro de Juiz de Fora. Carregado nos ombros por simpatizantes, o presidente participava de uma caminhada pelas ruas do centro da cidade quando foi esfaqueado por Adelio Bispo de Oliveira.

O então candidato à Presidência foi socorrido por sua equipe e levado até a Santa Casa de Misericórdia da cidade mineira, onde foi submetido a uma cirurgia. No dia seguinte, Bolsonaro foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde completou sua recuperação.

Confusão nas postagens

Aliados e integrantes do governo relembraram a data em suas redes sociais, como um dos filhos do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e a deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

No entanto, uma postagem curiosa chamou a atenção dos internautas. O perfil oficial do secretário nacional de Cultura, Mário Frias, fez uma postagem exatamente igual à divulgada no perfil do presidente da República, agradecendo em primeira pessoa. Acontece que Frias publicou o texto às 08h38, enquanto a publicação de Bolsonaro foi feita às 10h16.

A postagem original foi apagada e republicada às 10h08, designando a autoria do texto ao presidente.

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade