0

Bolsonaro é criticado por organizações ambientais

Membros de entidades afirmam que fala do presidente não é condizente com a realidade e arranha imagem do Brasil no exterior

22 set 2020
16h54
atualizado às 19h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O discurso de Jair Bolsonaro nesta terça-feira, 22, na 75ª Assembleia das Nações Unidas (ONU) teve grande impacto negativo entre organizações ambientais. Durante sua fala, o presidente disse que os incêndios no Pantanal e na Amazônia vêm sendo usados em uma "brutal campanha de desinformação" para atingir seu governo, e afirmou que as queimadas são resultado da ação de índios e caboclos.

Presidente Jair Bolsonaro em discurso gravado para a abertura da 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas.
Presidente Jair Bolsonaro em discurso gravado para a abertura da 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas.
Foto: Reprodução / Estadão Conteúdo

Mariana Mota, coordenadora de Políticas Públicas do Greenpeace Brasil, afirma que Bolsonaro agrava a difícil situação enfrentada pelo Brasil ao minimizar o drama ambiental, piorando ainda mais a imagem do Brasil no exterior. "Lamentavelmente, já estamos habituados a ouvir o presidente faltar com a verdade, desqualificar a ciência e buscar culpabilizar terceiros em vez de assumir a responsabilidade constitucional que possui", diz.

"Ao invés de negar a realidade, em meio à destruição recorde dos biomas brasileiros, o governo deveria cumprir seus deveres constitucionais em prol da proteção ambiental e apresentar um plano eficiente para enfrentar os incêndios que consomem o Brasil", completa.

Secretário-executivo do Observatório do Clima, Marco Astrini disse que Bolsonaro está "arrasando" com a imagem internacional do Brasil, além de ser uma real ameaça para a economia brasileira pela maneira como conduz os problemas enfrentados pelo País. "Ao arrasar a imagem internacional do Brasil como está arrasando nossos biomas, Bolsonaro prova que seu patriotismo sempre foi de fachada", disse. "O Brasil pagará durante muito tempo a conta dessa irresponsabilidade. Temos um presidente que sabota o próprio país."

Gabriela Yamaguchi, diretora de Sociedade Engajada do WWF-Brasil, disse que o discurso de Bolsonaro foi cheio de "acusações infundadas e ilações sem base científica", afirmando ainda que postura não é condizente com o papel de chefe de estado. "Como um roteiro de ficção, o discurso uniu palavras-chave das Nações Unidas com descrições de um Brasil que não existiu em 2020, em completo negacionismo da realidade do país e desconsiderando a urgência e seriedade dos desafios globais que o secretário-geral da ONU, Antonio Guterrez, tão bem descreveu em sua fala."

Diretora executiva da Oxfam Brasil, Katia Maia também fez duras críticas à fala de Bolsonaro. "O governo atual se especializou em disseminar a 'pós-verdade' para eximir-se da responsabilidade pelos graves problemas que o país enfrenta. E isso em nada contribui para que tenhamos as soluções necessárias".

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade